terça-feira, 10 de setembro de 2013

Mineiro topa disputar governo, mas prioridade do PT é Fátima

A prioridade do Partido dos Trabalhadores nas eleições estaduais do próximo ano me parece clara: a eleição de Fátima Bezerra para o Senado da República.
fernando-mineiro_370
A candidatura de Fátima é consistente e já se faz sentir nas pesquisas de opinião. Mas é também nas pesquisas eleitorais que surge o nome do deputado Fernando Mineiro para o governo.
Mineiro foi candidato a prefeito de Natal no último pleito e quase passa para o segundo turno. Bateu na trave. Se tivesse disputado a segunda etapa, avaliam os analistas, poderia ter superado o favorito e eleito Carlos Eduardo Alves (PDT).
Cada eleição é diferente, mas Mineiro aparece como opção para o governo por causa do recall da última refrega eleitoral.
Ele é um cara preparado. Estudioso. Antes de falar sobre qualquer assunto no plenário da Assembleia ou em qualquer reunião ou seminário do partido, Mineiro estuda os números, avalia os dados e costura um discurso coerente aos interesses do seu partido e, muitas vezes, da sociedade.
O eleitorado tem demonstrado que deseja um nome diferente para a próxima eleição. E Mineiro pode encarnar essa expectativa de mudança.
O problema é que o PT já tem um nome para disputa majoritária. Como eu falei no início, este nome é Fátima Bezerra. Cabe perguntar: até que ponto o projeto de Mineiro pode atrapalhar o de Fátima??? E vice-versa???
Perguntei a Mineiro e ele respondeu de bate-pronto: a prioridade do PT é Fátima. Mas foi claro também ao dizer: "Meu nome está à disposição do PT para o governo. Mas só vou encarar a disputa se o partido estiver unido. Eu não vou repetir 2010", disse.
Em 2010, ele teimou ser candidato a prefeito mesmo sem a concordância do grupo de Fátima Bezerra, que simpatizava com o apoio a Carlos Eduardo (PDT) desde o primeiro turno.
Fernando Mineiro teimou e surpreendeu com boa votação. A história pode se repetir no ano que vem? Claro que pode. Mas Mineiro exige a união da legenda e o apoio da Executiva Nacional. Este apoio do comando nacional lhe faltou em toda eleição da capital.
O caminho de Mineiro pode resultar numa chapa puro-sangue. Se Fátima Bezerra for alijada do acordão que está sendo montado pelo PMDB, o PT pode enveredar por chapa própria. Mineiro para o governo e Fátima para o Senado. Por enquanto, o PT prioriza o arco de alianças.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça aqui o seu comentário.