sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Getúlio Rego diz que "sugerir impeachment de Rosalba é uma atitude esquizofrênica."


O deputado estadual, Getúlio Rego (DEM), líder do governo na Assembleia Legislativa, afirmou na manhã desta quinta-feira (08) que sugerir um impeachment para a governadora Rosalba Ciarlini (DEM) é uma atitude esquizofrênica. "Eu acho que impeachment é atitude esquizofrênica de quem quer ampliar a crise, que não interessa a ninguém", disparou.

Getúlio afirmou que, para haver o afastamento constitucional da governadora Rosalba Ciarlini, haveria de ter um crime pesando contra ela, e este, não há, segundo disse. "Qual o crime que a governadora cometeu até agora para ser ameaçada de impeachment?", questionou.

Na avaliação do líder governista, a sugestão de afastamento faz parte daqueles que estão de plantão tentando o pior para o Estado. Getúlio indagou: "Em que democracia nós estamos? Cassar mandato de alguém que está cumprindo com seus deveres do ponto de vista constitucional e legal? Qual o motivo para o impeachment? Isso é repugnante. É uma coisa absolutamente do tempo da inquisição", afirmou.

Na avaliação de Getúlio, quem deve cassar mandato de governante que não corresponde ao pensamento da maioria é o povo, democraticamente, nas urnas. "Teremos eleições o próximo ano", lembrou.

O impeachment da governadora Rosalba foi sugerido pelo vereador Fernando Lucena (PT), em entrevista à imprensa. O petista apoiou dois impeachments contra a então prefeita Micarla de Sousa (PV) na Câmara Municipal de Natal, em 2012, e disse não entender por que a Assembleia Legislativa não instaura um processo de cassação do mandato da governadora, que, na sua visão, está levando o estado à bancarrota.

Para o líder do governo na Assembleia, porém, "isso é uma tentativa oportunista de aproveitar uma crise, que é real, que afeta o RN, que afeta o país como um todo, que afeta a economia mundial, para tentar fazer manchete".

As informações são do Jornal de Hoje

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça aqui o seu comentário.