sexta-feira, 14 de junho de 2013

POLÍCIA NÃO TEM DINHEIRO PARA BUSCAR PRESO EM MINAS GERAIS, DIZ DELEGADO



Um impasse está emperrando o andamento das investigações do assassinato do advogado criminalista Antônio Carlos de Souza Oliveira. Segundo o delegado Roberto Andrade, à frente do inquérito que apura o caso, o governo ainda não conseguiu o dinheiro para fazer a transferência de Marcos Antônio Melo Lopes, o “Irmão Marcos”, de Minas Gerais para o Rio Grande do Norte. “Talvez tenhamos o dinheiro para o transporte na semana que vem”, acrescenta o delegado.

Marcos Lopes foi detido no último domingo (9) na cidade de Ipanema (MG) sob força de mandado de prisão preventiva. Ele é apontado nas investigações como a pessoa que dirigiu a Fiat Doblô prata até o local onde ocorreu o crime, na zona Oeste de Natal. Há suspeitas ainda de que ele seja um dos mentores do assassinato do advogado.

Roberto Andrade está aguardando para a próxima semana a verba do Estado para comprar duas passagens de ida para Minas Gerais e três de volta para o RN com objetivo de fazer a transferência do acusado. “Vamos escolher dois policiais para irem busca-lo. Veja o nível de segurança que teremos”, lamenta o delegado.

Segundo o delegado, ele precisa ouvir o “Irmão Marcos” para dar prosseguimento às investigações. “Precisamos checar com ele algumas informações para darmos rumo à apuração”.

Roberto Andrade alega ainda que não recebeu todos os laudos do Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep). Chegou ao delegado apenas o exame de local de morte violenta. “Ainda estou aguardando o laudo cadavérico e o de balística”.
PORTAL NO AR

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça aqui o seu comentário.