sexta-feira, 1 de março de 2013


Simulador calcula desconto na conta de luz

Nos próximos dias, vão começar a ser entregues as contas de luz com a redução anunciada pelo governo.




Nos próximos dias, vão começar a ser entregues as contas de luz com a redução anunciada pelo governo. Mas, na internet,já é possível saber se o seu desconto está dentro do percentual previsto.


Conta de luz já não é nenhuma mensageira de boa notícia. “Antigamente, vinha 20, 25. Agora foi para 60 reais”, diz um homem.
Mas vem um alívio. As contas de luz residenciais devem ficar pelo menos 18% mais baratas, segundo o governo federal. Vamos pagar menos no preço da energia e nos encargos cobrados na conta. A lei está valendo desde o mês passado. Nos próximos dias, começam a chegar as contas desse período - as primeiras com o desconto integral.
Mas já dá para ter uma ideia de como vai ficar com um simulador para a internet, desenvolvido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. É só preencher com informações de contas que o consumidor já tem em casa; o nome da concessionária; o nível de tensão - nas residências, é "baixa tensão"; o tipo de tarifa - residencial ou residencial de baixa renda; e o consumo - vamos usar como exemplo uma família que consome 159 quilowats-hora por mês, que é a média das famílias brasileiras, segundo a empresa de pesquisa energética.
O simulador mostra que a conta, na cidade de São Paulo, que hoje é de R$ 54,85, vai para R$ 44,84, se a família tiver o mesmo consumo, 18,24% a menos. Mas o cálculo não inclui a taxa de iluminação pública, que varia de cidade para cidade, e multas que o consumidor tenha.
Por enquanto, o simulador está valendo para distribuidoras de cinco estados: Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais.
“Esse simulador é uma ferramenta para que as pessoas possam conferir os seus direitos”, avalia Paulo Skaf, presidente da Fiesp.
É a esperança de pagar menos, principalmente para quem já tentou de tudo e acha que ainda gasta muito.
“Já troquei a fiação toda. Os fios são grossos, as lâmpadas são de baixo consumo. Enfim, a conta é alta”, destaca o físico Paulo Garcia.
G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça aqui o seu comentário.