sábado, 10 de março de 2012

Antecipar restituição do IR é opção para quitar dívida mais cara

Clientes dos principais bancos do país já têm à disposição uma linha de crédito para antecipar a restituição do Imposto de Renda. Quem tiver direito à restituição pode obter esse empréstimo no Banco do Brasil, Bradesco, Itaú Unibanco, Santander, HSBC e Caixa Econômica Federal, pagando juro mensal entre 2,4% e 3%.

Consultores financeiros avaliam que antecipar a restituição é vantajoso apenas para quem tem dívidas no cartão de crédito, está pendurado no cheque especial ou fez empréstimo em financeiras, porque são linhas com taxas de juros mais altas. Na prática, dizem os analistas, é trocar uma dívida mais cara por uma dívida mais barata.

- O juro do cartão de crédito está em 10,63% ao mês, enquanto o do cheque especial fica em 8,2% ao mês. E as financeiras cobram 8,23% ao mês para emprestar dinheiro. Portanto, quem estiver devendo nessas três modalidades de crédito pode antecipar o valor da restituição e quitar essas dívidas mais caras, já que o juro médio de 3% cobrado pelos bancos é bem mais baixo - diz o consultor financeiro Miguel Ribeiro de Oliveira, vice-presidente da Associação nacional dos Executivos de Finanças (Anefac).

O vice-presidente da Anefac fez uma simulação. Uma pessoa que usa R$ 1 mil do limite do cheque especial, durante seis meses, vai pagar ao final do período R$ 2 mil. Já quem utiliza R$ 1 mil da antecipação da restituição paga R$ 1.194,10 ao final do mesmo prazo. Sobram no bolso do devedor mais de R$ 800,00, uma bela economia com juro.

Para aqueles que não têm dívidas no cartão de crédito ou cheque especial, mas precisam de dinheiro, os consultores lembram que vale a pena recorrer ao empréstimo consignado. Nessa modalidade de crédito, o juro médio está em 2% ao mês, patamar mais vantajoso que os 3% cobrados na antecipação da restituição.

Ribeiro de Oliveira explica que não vale a pena antecipar a restituição, por exemplo, para aplicar o dinheiro no mercado financeiro. Segundo ele, as aplicações de renda fixa costumam pagar 1% ao mês (e com a queda da Selic vão pagar ainda menos) e a poupança remunera em cerca de 0,6% ao mês. Também não é vantajoso tomar o empréstimo para fazer uma viagem, por exemplo. Em agências de turismo é possível parcelar o passeio com taxa de juro menor do que os 3% cobrados pelos bancos.

Como exigem que a restituição do IR seja recebida em uma conta do banco, as instituições financeiras têm uma garantia a mais de que o empréstimo será quitado. Mas Marcelo Maron, consultor financeiro e diretor do Grupo Par, em Brasília, alerta para o risco de o contribuinte ficar retido na malha fina e a restituição atrasar.

- Esse é um risco real. Por isso, os bancos estendem o prazo para quitação além de dezembro. O último lote de restituição será pago em 17 de dezembro - diz o consultor.

De acordo com dados da Receita Federal, apenas 2,4% dos contribuintes que enviaram a declaração em 2011 (ou 569.671) caíram na malha fina, um percentual baixo.

Miguel Ribeiro de Oliveira diz que se não receber a restituição até a data do último lote, o cliente deve negociar o pagamento do empréstimo com o banco.

- Uma opção é fazer um novo empréstimo até a restituição sair. E nesse caso é preciso negociar o juro - diz o vice-presidente da Anefac.

Da Agência O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça aqui o seu comentário.