quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Cabo Jeoás é transferido para Presídio Militar da Bahia

Por Thyago Medeiros, via Portal BO
O cabo Jeoás Nascimento, presidente da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar do RN, foi transferido para um presídio militar no estado da Bahia. O policial potiguar tinha mandado de prisão expedido pela Justiça baiana e se apresentou ao Comando do Quartel Geral da PM em Natal, na última terça-feira (14). A transferência dele foi feita no início da manhã desta quinta-feira (16).
A informação foi confirmada pelo coronel Francisco Canindé de Araújo Silva, comandante da PM/RN. De acordo com o oficial, o cabo Jeoás Nascimento tinha um mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça da Bahia, em virtude da participação dele na greve dos policiais militares daquele estado.
“Além disso, nós também recebemos um novo mandado de prisão expedido pela Auditoria Militar da Bahia, que incluiu o cabo Jeoás nos artigos 149, 150 e 152 do Código Penal Militar. Por esse motivo, ele teve que ser transferido para o Presídio Militar do Batalhão de Operações Especiais da polícia baiana”, explicou coronel Araújo Silva.
De acordo com o Código Penal Militar, os crimes militares atribuídos ao policial potiguar são: agir contra a ordem recebida de superior, ou negando-se a cumpri-la (artigo 149); reunir-se dois ou mais militares ou assemelhados, com armamento ou material bélico, de propriedade militar, praticando violência à pessoa ou à coisa pública ou particular em lugar sujeito ou não à administração militar (artigo 150); e crime de conspiração (artigo 152).
A punição para esses crimes pode variar três a cinco anos de prisão. No caso do artigo 149, a pena é de quatro a oito anos, com aumento de um terço para os líderes de movimentos. O advogado da Associação de Cabos e Soldados da PM/RN, Paulo César Ferreira da Costa, informou que entrou com pedido de habeas corpus na segunda-feira (13) e o documento se encontra no Ministério Público da Bahia para ter um parecer e ser julgado pela Justiça.
Cabo Jeoás Nascimento foi levada para a Bahia por dois oficiais da PM baiana e três policiais que vieram exclusivamente buscá-lo. Ele deixou o aeroporto Augusto Severo, em Parnamirim, por volta das 5h, partindo em um vôo comercial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça aqui o seu comentário.