terça-feira, 18 de outubro de 2011

Mais um capítulo negociação Governo x policiais e bombeiros militares



Amanhã, às 16h, será realizada mais uma reunião entre as entidades representativas dos policiais e bombeiros militares e a equipe do Governo do Estado, na qual deverá ser apresentada uma contraproposta do governo aos valores apresentados na proposta de subsídio. A reunião será realizada na Consultoria do Estado e no mesmo local também está confirmada uma assembleia geral da categoria. Estarão presentes na reunião o líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado estadual Getúlio Rego (DEM), o deputado estadual Fernando Mineiro e o representante da Associação Nacional dos Praças, Sd. Marco Prisco.
“Queremos que o governo valorize a categoria. Nossa proposta é para um reajuste a partir de 2012, mas o governo insiste em falar em Lei de Responsabilidade Fiscal, dando a entender que não haverá reajuste nem para o ano que vem. Nós ratificamos a proposta de R$ 3.477 (20% do salário do coronel) e não vamos abrir mão desse valor”, afirmou o Cabo Jeoás Nascimento, presidente da ACS PM/RN e vice-presidente da Associação Nacional dos Praças.
Após a última assembleia, realizada no dia 11 de outubro, os policiais militares foram até a Assembleia Legislativa para pleitear o apoio dos deputados estaduais para a reivindicação da categoria. Na oportunidade foi entregue um relatório sobre as negociações com o governo, que se iniciaram desde março e ainda não tiveram nenhum andamento.
O governo estadual, representado pelo secretário de Administração e Recursos Humanos, José Anselmo de Carvalho Júnior, vem alegando que não tem condições de pagar a proposta requerida pelos policiais e bombeiros militares. A proposta mantida pelas entidades representativas dos policiais e bombeiros militares é de um salário de R$ 3.447 para o soldado, o que equivale a 20% do salário do coronel com valor de R$ 17 mil e um parcelamento até 2014. Já a proposta apresentada pelo governo, até o momento, é de um salário de R$ 2.700 com parcelamento até 2015. Com esse valor o soldado deixaria de receber os atuais 25% e passaria a receber 15% do salário do coronel.
Serviço:
Reunião entre o governo estadual e entidades representativas dos policiais militares para tratar sobre o subsídio e Assembleia Geral Unificada dos Policiais e Bombeiros Militares no dia 19 de outubro – às 16h30

Consultoria Geral do Estado – Centro Administrativo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça aqui o seu comentário.