quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Campus Pau dos Ferros recebeu Ariano Suassuna em grande estilo

O teatrólogo paraibano ministrou aula magna nas comemorações de aniversário dos 102 anos de Instituto e de dois anos do Campus Pau dos Ferros.

O Campus Pau dos Ferros não poderia ter comemorado seu aniversário em melhor estilo. Ariano Suassuna, um dos maiores escritores brasileiros, prestigiou o Campus com uma visita e uma aula magna para encerrar as atividades do dia.

Pela manhã, Suassuna conheceu as dependências do Campus e concedeu uma entrevista aos alunos do Instituto. Dentre os temas explorados, educação, cultura nordestina, costumes do povo brasileiro e a complexidade dos personagens do autor. Dentre eles, Ariano citou o exemplo de um dos mais famosos: João Grilo, o grande mentiroso e contador de histórias de O Auto da Compadecida, conhecido também pela sua célebre frase “não sei. Só sei que foi assim”.

O dramaturgo também atendeu aos seus admiradores com fotos, bom humor e simpatia. Sua esposa, Dona Zélia, acompanhou de perto os passos de seu marido e também distribuiu todo carinho para a comunidade acadêmica que os recebeu pela manhã.

Para a aula magna, mais de 1.200 pessoas lotaram o pátio do campus para ver, ouvir e se divertir com o bom espírito do dramaturgo. Logo com a sua chegada, a solenidade foi iniciada com o Hino Nacional. E já no inicio da aula, quem esteve presente pode perceber que não seria uma simples apresentação. A vivacidade de Suassuna encantou e surpreendeu a todos quando, por motivos técnicos, o hino não pode ser tocado. O autor do Auto da Compadecida pediu permissão ao reitor do Instituto, Belchior de Oliveira Rocha, e, pedindo desculpas pela “voz fraca, rouca e feia”, puxou o Hino Nacional. Cantando o hino completo e com convicção de cada palavra que compõem os versos, Ariano emocionou a todos pela demonstração de patriotismo e amor ao que é da terra.

Contando suas histórias de vida e demonstrando que “o que vem da terra é de classe A”, Suassuna embarcou toda a plateia por uma viagem ao universo da cultura popular. Relembrando as danças, ritmos populares e todas as manifestações da arte, como as do mestre Aleijadinho, o escritor, sempre com bom humor, falou sobre a importância cultural que os estados de Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte têm para representar o Nordeste brasileiro.

Outro momento emocionante da aula magna foi quando Ariano declarou seu amor por Dona Zélia. São 60 anos de casados e de "namoro todos os dias", disse o escritor. E ainda acrescentou que “se for necessário namorar por mais 60, 70 anos, que assim seja”.

Ao todo, foram uma hora e 30 minutos de aula magna concedida por Ariano Suassuna. Uma aula que o campus e a cidade de Pau dos Ferros nunca terão igual. Pela simplicidade, simpatia e pelo peso desse grande dramaturgo que tanto colabora para a disseminação da cultura brasileira, pela valorização do Nordeste brasileiro e que só enriquece a dramaturgia e literatura brasileira.
Fonte: blog Jean Carlos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça aqui o seu comentário.