sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Assembleia da UERN decide pela continuidade da greve.

Os professores e técnicos da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) decidiram em Assembleia Geral da categoria nesta última quinta-feira (25), pela continuidade greve na instituição. Segundo o vice-presidente da Associação de docentes da UERN (Aduern), Neto Vale, a decisão contraria o clima geral da assembleia, mas está em acordo com a “irredutibilidade” do governo.

“Nós percebemos que as chances de que a greve fosse acabar hoje eram muito grandes, reais, mas a resposta negativa dada pelo secretário de planejamento provocou a reação inversa”, explicou o vice-presidente da associação, Neto Vale, comentando o resultado da reunião realizada nesta quarta-feira (24), entre o secretário estadual de administração, Anselmo Carvalho e o comando da greve.

Na reunião, os representantes do movimento tentaram articular um novo escalonamento para o reajuste salarial - pagamento em quatro parcelas (2011, 2012, 2013 e 2014) - já aceito pelos grevistas. O Governo do Estado propõe um escalonamento regular, enquanto os professores e técnicos esperam que haja uma correção dos valores a cada ano.

“O que escutamos do secretário foi que de acordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal essa correção, por se tratar de uma coisa futura, não pode ser feita. Eles alegam que não há como trabalhar com um dado que ainda não existe”, explica Neto Vale. Uma saída apontada pela associação seria o escalonamento com índices de correção baseados nos anos de 2010 e 2011.

Outro ponto que ainda está sendo discutido pelos grevistas diz respeito ao descontingenciamento da verba da UERN. “O secretário explicou que essa é uma matéria que só pode ser solucionada com o fim da greve, até porque não há sentido negociar com uma instituição que está praticamente parada”, afirmou Neto.

“Sabemos que a greve está longa e também queremos que o movimento chegue ao fim, mas apenas se houver uma negociação justa. O comando da greve continua disposto a negociar”, declarou o vice-presidente da Aduern.

A greve completa hoje 86 dias.

Fonte: Portal Nominuto.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça aqui o seu comentário.