segunda-feira, 20 de junho de 2011

De pé no chão também se aprende a ler, 50 anos depois




Na manhã da última sexta-feira, 17, ocorreu, na Assembleia Legislativa do RN, a audiência pública em comemoração dos 50 anos da 2ª fase da campanha "De pé no chão também se aprende a ler" do, então prefeito de Natal, Djalma Maranhão. A atividade foi promovida pelo mandato do deputado Fernando Mineiro e pelo Núcleo de História e Memória da Educação de Jovens e Adultos, da UFRN.

A 2ª fase da "De pé no chão" teve início em 61, três anos antes do golpe militar que acabou com o projeto e destituiu Djalma da Prefeitura. "Essa campanha foi brutalmente interrompida. O país teria ganhado muito com sua continuidade", declarou Mineiro. O projeto era realizado em acampamentos de palha, pela ausência de orçamento e de espaços onde dar as aulas.

O parlamentar também informou que o seu mandato e o da deputada Fátima Bezerra estão preparando um selo comemorativo dos 50 anos da campanha, a ser veiculado nos Correios.

Na mesa, estiveram presentes a representante da secretaria de Educação, Adriana Diniz; a coordenadora do Programa de Ensino de Jovens e Adultos em Natal, Maria Suerda Nogueira; a representante do Núcleo de História e Memória da Educação de Jovens e Adultos, Marisa Narciso; a ex-professora da campanha, Maria da Salete Souza e a ex-aluna da campanha, Aldemira Cabral.

Para Adriana Diniz, a campanha deve ser lembrada, mas o lugar dela não é na memória, mas na esperança. "Devemos resgatar esse tipo de ação mas, hoje, no formato de políticas públicas", afirmou. Já Maria Suerda lembrou que ainda é alta a taxa de analfabetismo no Brasil e que, no Programa Brasil Alfabetizado, a intenção é que o aluno permaneça na educação ao longo da vida.

Foram homenageados com comenda Josemá de Azevedo, responsável pela interiorização da campanha; Margarida de Jesus Cortez, diretora do centro de formação de professores; Omar Fernandes Pimenta, responsável pelo material didático; Mailde Pinto Galvão, secretária de educação do município; José Ribamar de Oliveira, mestre de obras, responsável pela construção de acampamentos, além das professoras Marlene de Souza Araújo, Maria do Socorro Soares Fonseca, Maria Salonilde Ferreira, Malde Linhares Damasceno, Maria da Salete Brito de Souza e Adelmira Oliveira Cabral, como uma homenagem por sua atuação e participação no projeto, além de Haroldo Maranhão Bezerra Cabral de Britto e Alexandre Albuquerque Maranhão.

Fonte: Assessoria do Mandato

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça aqui o seu comentário.