quinta-feira, 23 de junho de 2011

BARRADOS NA CMN, MANIFESTANTES PROVOCAM PRINCÍPÍO DE TUMULTO NO LEGISLATIVO.



Os manifestantes que estiveram acampados durante 11 dias na Câmara Municipal do Natal voltaram ao Legislativo nesta quarta-feira (22), dia em que era aguardada a leitura do requerimento para a instalação da CEI que pode investigar os contratos da Prefeitura do Natal. Com o impedimento de parte do grupo entrar na CMN, houve princípio de tumulto.
Informados sobre a possibilidade de que a investigação não fosse instalada devido a uma manobra dos vereadors da bancada aliada à prefeita Micarla de Sousa, o grupo tentou entrar no Palácio Padre Miguelinho. Soba justificativa de que só seria possível a entrada do número máximo de pessoas que as galerias do legislativo comporta, aproximadamente 30 manifestantes foram impedidos de ingressar no prédio.
Revoltados, alguns estudantes chegaram a forçar a entrada, mas a Guarda Municipal, com o auxílio de Policiais Militares, impediu o ingresso dos manifestantes. Durante o empurra-empurra, um dos jovens acabou sofrendo um choque mais forte no rosto, mas sem gravidade.
De acordo com informações de funcionários da CMN, há 85 lugares nas galerias reservadas para o público que acompanha as sessões na CMN, mas o número de manifestantes que ingressou foi ligeiramente superior ao limite. Os que não conseguiram entrar, seguem em frente ao Palácio Padre Miguelinho.
Revolta

Os manifestantes, depois de 11 dias de ocupação na CMN, aceitaram deixar o prédio mediante as garantias de que uma audiência pública seria realizada e haveria a instalação da CEI dos Contratos da Prefeitura, composta por cinco vereadores, sendo dois de oposição e três de situação. Além disso, a presidência ou uma relatoria ficaria a cargo de um oposicionista.
Dos 21 vereadores, 19 assinaram o acordo que viabiliziu a saída do grupo. O requerimento para a instalação da investigação foi apresentado na sessão de terça-feira (21), mas o líder da prefeita na CMN, vereador Enildo Alves, informou que já havia dado entrada no pedido de abertura de três CEIs, com as assinaturas dos vereadores Mauricio Gurgel (PHS), Albert Dickson (PP), Chagas Catarino (PP), Enildo Alves (sem partido), Adenúbio Melo (PSB), Dickson Nasser (PSB) e Heráclito Noé (PPS).
Desse modo, a preferência seria para a instalação das CEIs anteriores, que foram propostas por Enildo Alves. O presidente da Casa, vereador Edivan Martins (PV), garantiu que a CEI dos Contratos ou a CEI dos Aluguéis estava garantida. Contudo, para que a CEI dos aluguéis seja restaurada, são necessárias 11 assinaturas.

Fonte: Tribuna do Norte

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça aqui o seu comentário.