quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Professor de francês é preso por tentativa de estupro

João Xavier de Lima, 30 anos, professor de francês da Fundação de Apoio ao Instituto Federal do Rio Grande do Norte (Funcern), foi preso em flagrante na tarde da última segunda-feira, acusado de tentar estuprar uma menina de 10 anos, no bairro de Nova Descoberta, Zona Sul de Natal. A vítima relatou ter sido abordada por volta das 12h30, quando voltava da escola. Ela conta que João perguntou o nome da rua, depois pediu para dar um beijo na cabeça dela e logo em seguida a agarrou pelas costas. "Como ele estava segurando uma sacola na outra mão, quando ele abaixou para me agarrar, caiu. Eu fui correndo para casa", explicou a menina.

Segundo a mãe, relato da estudante levou polícia a prender educador em flagrante Foto: Eduardo Maia/DN/D.A.Press

A mãe da vítima disse que ela chegou muito apavorada em casa, chorando e dizendo que um homem teria tentado agarra-lá. A menina descreveu fisicamente o acusado e disse em detalhes a roupa, inclusive, ressaltando um chapéu que ele usava. "Ela chegou muito nervosa aqui. Sai para tentar encontrar esse homem. Meu vizinho viu e foi no carro comigo. Encontramos ele na parada de ônibus", disse. Ao ser abordado o professor negou que tivesse praticado qualquer ato contra a garota e entrou no ônibus. A mãe seguiu o transporte até shopping Midway Mall, onde pediu ajuda a uma guarnição da Polícia Militar. O ônibus foi interceptado e o professor foi conduzido até a Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e ao Adolescente (DCA).

A titular da DCA, Adriana Shirley, afirma que a vítima descreveu com detalhes o acusado e confirmou todas as informações que disse para mãe. "Em depoimento, ele negou as acusações feitas pela menina", declarou a delegada dizendo que, após ter sido feito o flagrante, o professor conversou com um advogado e pediu para mudar o depoimento. "De forma não oficial, pois esse depoimento ele só vai mudar na Justiça. Ele disse que parte das coisas ditas pela menina era verdade", explicou Adriana Shirley. Dentro de 10 dias, a delegada deverá remeter o inquérito à Justiça.

Por meio de sua assessoria, a Funcern informou que o professor sempre teve uma boa conduta. A Fundação deve esperar ser comprovada a participação de João no crime para poder tomar as devidas providências. As aulas de francês eram ministradas para alunos de várias idades, desde adolescentes até idosos.
Fonte: Diário de Natal

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça aqui o seu comentário.