sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Meteorologistas afirmam que inverno já começou


Foto do Jornal o Mossoroense
Com a incidência das primeiras chuvas do ano na cidade, gerou-se uma incerteza se as precipitações pluviométricas eram correspondentes ao tradicional período chuvoso. A população, principalmente as pessoas ligadas à produção agrícola, ficaram indecisas se o momento era oportuno para o início do cultivo das culturas na região. Entretanto, climatologistas afirmam que o inverno já começou mais cedo, ressaltando que nesta primeira etapa do período será predominante a irregularidade das chuvas.
De acordo com o chefe do Departamento de Climatologia da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), José Espínola, apesar de a temporada chuvosa ter começado, não significa, por sua vez, que choverá todos os dias. Isso porque, segundo ele, até o mês de fevereiro ocorrerão os chamados veranicos, que consistem em um fenômeno meteorológico de curto período de estiagem, ou seja, provoca dias com interrupções na incidência das chuvas.
"As pessoas acham que com a chegada do inverno obrigatoriamente todos os dias haverá chuva. Mas não é assim, há inconstâncias provocadas, por exemplo, pelos veranicos. Em média, esse fenômeno dura um intervalo de seis a dez dias entre uma chuva e outra", explica Espínola.
Mesmo com as oscilações nas ocorrências das chuvas, conforme José Espínola, até agora na Estação Meteorológica situada na Ufersa foi registrado este mês um volume de chuva em Mossoró acima da média. "Ao todo, já choveu 83 milímetros, sendo que a média de janeiro do município é de 56 milímetros. No entanto, houve pontos nos limites da cidade, nas proximidades de acesso a Tibau e Baraúna, que registramos um acúmulo de 100 milímetros", revela Espínola.
Chuvas serão mais constantes a partir do mês de março
Na previsão dos especialistas é esperado um acúmulo superior a 700 milímetros na região. Segundo os climatologistas, a partir do mês de março, a incidência pluviométrica será constante com chuvas mais regulares. "De março até abril, a meteorologia prevê que as chuvas serão constantes. Além disso, que as médias de chuvas de cada mês sejam superadas", alerta José Espínola.
Embora a previsão não seja algo como aconteceu em 2009, quando choveu mais de 1.300 milímetros, ainda assim é preocupante para os moradores das áreas ribeirinhas. Uma vez que as águas da barragem Santa Cruz desbocam no rio Apodi-Mossoró, resultando na elevação do nível ao logo do curso natural que corta Mossoró.
Outro fator preocupante para residentes nas áreas de risco da cidade é tendência de ocupação da capacidade da barragem Santa Cruz, que com acúmulo das primeiras chuvas o reservatório opera já com 76% de capacidade.

Fonte: Jornal o Mossoroense

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça aqui o seu comentário.