quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Governo reafirma Mínimo de R$ 545


Gilberto Carvalho acena com proposta de correção do IR em 4,5%
FOTO: AGÊNCIA BRASIL
Discussão sobre correção da tabela do IR e sobre aumento do salário mínimo deve ser levada ao Congresso Nacional

Brasília. O governo manteve posição fechada ontem, em reunião com as centrais sindicais, de um salário mínimo de R$ 545 em 2011, "sem espaço para demagogias"´, mas acenou com a correção da tabela do Imposto de Renda (IR) em 4,5%. A informação foi dada ontem pelo ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral), após o encontro de cerca de duas horas com os sindicalistas, no Palácio do Planalto, que terminou em impasse.

O índice do reajuste da tabela do IR é inferior à demanda das centrais - elas exigem 6,46% -, que representa a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) no ano passado. Carvalho ressaltou que o governo não vai vincular uma eventual ajuste no imposto à negociação sobre o aumento do salário mínimo.

Congresso
Segundo representantes das centrais, o governo indicou que o Congresso Nacional poderá ser o fórum para a discussão do valor final do salário mínimo.

A proposta a ser enviada pelo governo ao Congresso será de R$ 545, de acordo com o ministro. O governo se comprometeu a enviar para o Congresso uma medida provisória formalizando a regra atual de reajuste até 2015, pela qual o mínimo seria calculado pela variação do PIB de dois anos antes, mais a variação da inflação do ano anterior.

Ao final da reunião, na qual estiveram o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa, e o ministro Carlos Lupi (Trabalho), os sindicalistas mantiveram a defesa dos R$ 580, mas reconheceram reservadamente que o governo não deve passar de R$ 550.

Uma nova reunião foi marcada para a próxima quarta-feira, dia 2, já na esteira do resultado das eleições para as presidências da Câmara e do Senado.

FONTE: DIÁRIO DO NORDESTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça aqui o seu comentário.