sábado, 13 de novembro de 2010

Lula ganha biografia em quadrinhos

'Luiz Inácio Brasileiro da Silva' será vendida nas bancas por R$ 4,95.
HQ conta a vida do presidente em 48 páginas e ilustrações de Rodolfo Zalla.

A vida do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, desde suas origens humildes até a atualidade, acaba de ganhar uma versão em quadrinhos. A HQ, da editora Sarandi, é o primeiro número de uma coleção sobre personalidades que marcaram o Brasil e terá como título "Luiz Inácio Brasileiro da Silva".




Imagens da capa e tiras da HQ 'Luiz Inácio Brasileiro da Silva', sobre a vida do presidente. (Foto: Reprodução)
  
As ilustrações percorrem em 48 páginas os principais episódios da vida de Lula, desde sua infância na pequena Vargem Grande (atual Caetés), em Pernambuco, até o final de seu mandato presidencial.
A história começa na cúpula do G20 em Londres no ano passado, quando o presidente americano, Barack Obama, disse a Lula: "Este é meu homem", definindo-o como "o político mais popular do mundo".
O episódio é o gancho para remeter às origens do líder, para depois narrar suas experiências como torneiro mecânico, a ascensão nos sindicatos e a fundação do PT, com o qual chegaria à chefia do Estado nas eleições de 2002.
O roteiro do livro é de Toni Rodrigues, autor de publicações infantis, e as ilustrações ficam por conta do argentino Rodolfo Zalla, renomado editor de histórias em quadrinhos dos anos 1980.
No final das 48 páginas, uma mensagem assinada pelo próprio Lula diz que sua história "representa os milhões de brasileiros anônimos que ainda não tiveram oportunidades".
A história em quadrinhos chegará às bancas nas próximas semanas com uma tiragem inicial de 37 mil exemplares, a R$ 4,95.
A editora Sarandi tem como um de seus principais clientes o Ministério da Educação e desde 2007 edita publicações do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD).

MAJOR FÁBIO DIZ: “PARA EXISTIREM MAIS CORONÉIS NASCIMENTO É PRECISO VALORIZAR A PM”

O deputado federal Major Fábio (DEM) disse que o filme tropa de elite traduz o desejo dos policiais e bombeiros militares de dedicação exclusiva a segurança pública. O parlamentar lamentou o aumento nos índices de criminalidade do Brasil, e cobrou que a presidente eleita cumpra os compromissos assumidos com segurança pública durante a campanha eleitoral.

-O trabalho e dedicação do coronel Nascimento, que transformou-se no primeiro super herói brasileiro, no filme tropa de elite é o desejo de todos os policiais e bombeiros do País, mas, para isso é preciso valorização salarial. Hoje, o policial tem que fazer “bico” para sobreviver, ressaltou o deputado.

De acordo com o parlamentar da Paraíba, que está sendo procurado por vários veículos nacionais para comentar a realidade da segurança publica, chegou à hora de encarar a realidade desse problema. “Precisamos criar outros super heróis pagando-lhes salários dignos, garantindo-lhes condições de trabalho. O Brasil precisa despertar para essa dura realidade. Chegou à hora de virar a página da ficção e encarar esse grave problema social”, denunciou.

O deputado lamentou o fato do “Brasil está perdendo a guerra com o tráfico de drogas. O crack está dominando todo País, os homicídios estão crescendo, tudo por conta das drogas que estão derrotando o poder público”, lamentou o Major Fábio.

O relator da PEC 300 também cobrou os compromissos assumidos na campanha pela presidente eleita, Dilma Rousseff, com o fortalecimento da segurança pública. “Não quero acreditar que ela pediu o presidente Temer para não votar a PEC 300. Isso significa rasgar seus compromissos com brasileiros que não agüentam mais viver na insegurança”, disparou o deputado Major.

Fonte: ClickPB

domingo, 7 de novembro de 2010

CARTA DE REPÚDIO

Não sou uma pessoa que costuma envolver-se em polêmicas ou declarar seus posicionamentos de forma ferrenha, pois acredito na palavra “Democracia” em toda a sua extensão e profundidade. Entretanto, diante de alguns – para não dizer centenas - de comentários que li via twitter, decidi escrever essa carta.
                No último dia 31/10, dia em que o Brasil votou e elegeu a sua primeira presidente mulher – um avanço para o nosso país- os nordestinos foram extremamente desrespeitados e discriminados por terem sido os protagonistas do resultado eleitoral nacional. Comentários como “pessoas sem esclarecimento”, “sem acesso a informação”, “alienadas” foram difundidas, em pleno século XXI, apregoando uma ideia ridícula de segregação do norte e nordeste, em relação ao resto do país.
                Para surpresa de alguns desinformados que twitaram tais absurdos, nós nordestinos conseguimos ler, fato que alguns julgaram impossível, pois acreditavam que no nordeste “ninguém sabia nem o que era twitter”. Engraçado é que muitos nordestinos acessam o twitter, o orkut, o facebook e os seus blogs, a partir de notebooks, netbooks, Iphones e Smartphones que, pasmem, nós sabemos o que é cada ferramenta dessa e trabalhamos a ponto de ter acesso a comprá-los, inclusive através dos websites do sudeste. É... os correios também atendem à região nordeste...
                Além disso, escrevo de uma cidade do interior paraibano – Campina Grande- situada entre as nove cidades tecnológicas do mundo, segundo a revista NewsWeek (vide: http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=7202)., exportando tecnologia da informação para países, como Espanha, EUA e China.  Ademais, somos a primeira cidade do Brasil a dominar a tecnologia do plantio de algodão colorido ecologicamente correto. Vivemos num estado, assim como todos, com uma indiscutível má distribuição de renda, fato que não impede que campus de universidades particulares e públicas ofereçam oportunidades de acesso ao ensino superior a todas as classes sociais.
Dentro dessa desigualdade social, ferida aberta em todos os grandes centros urbanos, vemos shoppings (é... nós temos shoppings no nordeste) oferecendo produtos que apenas uma parte da população pode ter acesso, contrastando com casas paupérrimas .  Vemos as simples bicicletas, meio de transporte ultimamente eleito como o melhor para o meio ambiente, disputarem espaço com grandes carros de empresas estrangeiras, a exemplo da Hyndai, Honda, Kya, bem como com carros mais populares, produzidos pela Fiat, Chevrolet, e Volkswagen. É... aqui já faz algum tempo que a carroça deixou de ser o principal meio de transporte.
                O que mais me assusta é que, diante de pessoas que se declaram tão superiores e esclarecidas, nós nordestinos demonstramos mais poder de decisão e escolha, pois não nos guiamos pelas opiniões alienantes e oligárquicas difundidas pelos principais meios de comunicação nacional.  Fato que também deve estarrecer os mais desinformados, pois nós aqui temos televisão, inclusive de plasma, LCD e de LED, e recebemos os sinais das principais redes de televisões do Brasil, sem falar que nos mantemos informados também através de tvs à cabo – mais de uma empresa? – pois é... isso pode ser um tanto quanto impactante para alguns habitantes da parte inferior do nosso mapa brasileiro.
                O que observamos é que o Brasil, nesses últimos quatro anos, assistiu a uma expansão do ensino superior, a uma diminuição da miserabilidade do país, a uma estabilidade econômica e a uma descentralização da distribuição de recursos federais, e isso foi determinante, acredito eu, para a escolha verificada com tanta revolta por alguns. A demagogia, o autoritarismo, os sorrisos forçados, a imagem da oligarquia não satisfaz mais a um povo que já sofreu muito com a falta de um olhar de credibilidade para a nossa região.
                E para aqueles que não acompanharam muito de perto os resultados eleitorais por região, os estados do Rio de Janeiro e de Minas Gerais, localizados na região Sudeste, também elegeram a candidata petista.
Apesar da grande votação da candidata petista na região nordeste, essa decisão não foi tão unâmime como todos pensam, pois em Campina Grande, repito, na Paraíba, o candidato José Serra teve mais de 60% dos votos.  O que prova que democracia é uma palavra que, além de exigir respeito, é imprevisível.
             Por tudo isso, venho com todo o meu sentimento de pesar, pelos comentários lidos, não defender um candidato ou outro, mas defender o povo nordestino que possui o direito de votar, bem como todas as demais regiões possui, e esclarecer, àqueles que acreditam em sua superioridade de reflexão e tomada de decisões, que os nordestinos não são a escória do Brasil, mas que contribuímos economicamente com o nosso país e merecemos receber em troca investimento e respeito.
             Aconselho também, a tais pessoas e às que pensam como elas, a conhecer o Brasil como um todo, antes de denegrir as pessoas, baseados em informações frágeis e opiniões preconceituosas. Quem não conhece o nordeste, não acredite em tudo que é veiculado pela televisão: venha aqui e se encante!


 Andrea Grace
(Nordestina, paraibana e mestranda em letras
pela Universidade  Federal de Campina Grande)