sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Polícia da Paraíba prende quadrilha suspeita de assaltar bancos no RN.

A polícia da Paraíba prendeu na noite desta quinta-feira (2) cinco homens suspeitos de integrarem uma quadrilha que assaltou bancos no Rio Grande do Norte. As prisões foram feitas por agentes do Grupo de Operações Especiais da Polícia Civil paraibana, na cidade de Mata Redonda. O grupo é suspeito de participar dos assaltos a agências do Banco do Brasil nas cidades de Monte Alegre e Goianinha.

José Renato do Nascimento Silva, Dario da Silva Ferreira, Milton Carlos Cândido da Silva, Rafael da Silva Santos e Manassés Teixeira de Lima foram presos quando fugiam em direção ao interior paraibano. A polícia não informou se houve apreensões de armas ou dinheiro com o grupo.

Todos os presos foram levados para a carceragem da sede da Central de Polícia, em João Pessoa. Ainda hoje, o grupo será levado para a sede da Secretaria de Segurança e Defesa Social do Estado (SEDS) onde os seus integrantes serão ouvidos pelo delegado Walber Virgulino, responsável pela operação. Depois, o grupo será entregue à polícia do Rio Grande do Norte.
Fonte: Tribuna do Norte

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Polícia continua nas buscas pelos assaltantes do BB de São Miguel.

Nesse momento todo o policiamento da região se empenha nas buscas pela quadrilha que assaltou a Agência do Banco do Brasil de São Miguel nesta manhã. As buscas estão sendo feitas incessantemente por todas as estradas da região.

O contingente policial da PM/RN está sendo auxiliado pelas viaturas do GTO de Pau dos Ferros, Polícia Civil e Polícia Militar do Estado do Ceará, porém até o momento ainda não há pistas sobre o paradeiro da quadrilha.

Filhos do subgerente do BB são liberados em comunidade rural.

Mesmo após o termino do assalto o clima de tensão e apreensão continuou na cidade de São Miguel. A expectativa era pela liberação dos dois filhos do subgerente Rogério Holanda, um garoto de 09 anos e uma adolescente de 13 anos que só ocorreu às 11h30min.

Os dois foram encontrados a beira da RN177 nas proximidades da localidade do Sítio Olho D’água Dantas pelo motorista conhecido como Raimundo de Chico Antonio que faz a linha diária de São Miguel a Pau dos Ferros.

No momento em que foram encontrados os dois estavam acorrentados pelos pés e pelas mãos, porém sem nenhum tipo de marca de violência. Logo após serem encontrados os dois foram levados para a sua residência onde tiveram um reencontro emocionado com os pais.

Em nome de Rogério Holanda e Katamura Barreto o blog agradece a todos que oraram e se solidarizaram nesse momento difícil vivido pela família.

Quadrilha assalta Banco do Brasil de São Miguel e faz família do subgerente de refém .


Uma quadrilha composta por aproximadamente 12 homens assaltaram a Agência do Banco do Brasil e mantiveram a família do subgerente como reféns. A ação teve inicio por volta das 20h00min desta quarta-feira (01) quando um grupo de homens armados invadiu a casa do subgerente Rogério Holanda e mantiveram todos durante toda a noite como reféns.
De acordo com informações repassadas pelo próprio Rogério Holanda os bandidos relataram que a cerca de dois meses planejavam o assalto e para isso monitoravam toda a rotina da família. O subgerente relatou que após o grupo passar toda a noite da sua residência, pediram que a família mantivesse a sua rotina diária da manhã desta quinta-feira e que não comunicasse nada a polícia antes de um período de uma hora após a conclusão do assalto, sob risco de ocorrer algo com os seus filhos.
Segundo Rogério Holanda por volta das 04h00min da manhã de hoje os seus dois filhos foram levados de casa para um cativeiro em local desconhecido como forma de garantia de que todo o plano arquitetado daria certo. Após isso por volta das 07h30min da manha o subgerente seguiu com dois integrantes da quadrilha para a agência do banco, aonde chegando lá foi avisado aos demais funcionários que os filhos do mesmo estavam mantidos como reféns e que estaria ocorrendo um assalto no local.
Dentro da agência os dois bandidos disfarçados de técnicos de manutenção passaram cerca de 1 e 15 minutos recolhendo todo o dinheiro até que por volta das 08:45 os dois saíram com todo o dinheiro do cofre sem serem percebidos pelos clientes que estavam na fila. Na fuga a dupla utilizou o veículo de propriedade do subgerente que momentos depois foi abandonado na saída do município.
Como forma de manter a segurança da família do subgerente da Agência do BB de São Miguel o fato só foi comunicado a polícia cerca de uma hora após a saída dos assaltantes do local. Na seqüência um grande aparato policial composto pelo GTO de Pau dos Ferros, Polícia Civil e guarnições policiais de todos os municípios da região posicionaram-se em frente à agência na expectativa de que o assalto ainda estaria ocorrendo, contudo após alguns minutos a polícia tomou conhecimento de que os bandidos já teriam ido fugido a bastante tempo.

Agência do Bando do Brasil é assaltada na cidade de São Miguel

Informações do 7ºBPM:

Assaltantes seqüestraram o gerente do Banco do Brasil da Cidade de São Miguel ontem a noite 01/09/2010, e hoje 02/09/2010, levaram o dinheiro sem ter ávido confronto com a Policia.

Porem existe outra informação que teve reféns dentro do Banco, e trocas de tiros com a Policia Local e o GTO de Pau dos Ferros já se encontra na Cidade Para buscas na Região.


Mais informações a qualquer momento

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

CAMEAM/UERN REALIZARÁ PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSOR PROVISÓRIO

O Departamento de Educação, do Campus Avançado Profª Maria Elisa de Albuquerque Maia - CAMEAM comunica aos interessados a abertura de inscrições para o Processo Seletivo Simplificado com vistas à classificação e contratação de docentes, em caráter provisório, para ingresso no semestre letivo 2010.2.

I – ÁREA, TITULAÇÃO EXIGIDA, REGIME DE TRABALHO E VAGAS:

A área de conhecimento; o objeto da seleção; a titulação acadêmica mínima exigida, número de vagas e regime de trabalho, conforme especificados no quadro abaixo:

Área de

Conhecimento

Disciplina(s) objeto

da seleção

Titulação

Acadêmica

Regime

de Trabalho

Número

de Vagas

Especialização/Fundamentos

Didática

Didática Geral

Estrutura e Funcionamento do Ensino Básico

Filosofia da Educação

Graduação em Pedagogia e Especialização em Educação e/ou áreas afins

T-40

01

Fundamentos

Sociologia Geral

Fundamentos de Psicologia

Graduação em Pedagogia e Especialização em Educação e/ou áreas afins

T-20

01

II - INSCRIÇÕES

As inscrições serão efetivadas pelo próprio(a) interessado(a) ou por representante legalmente constituído, exclusivamente na Secretaria do Departamento de Educação, Bloco C, do Campus Avançado “Profª Maria Elisa de Albuquerque Maia”, situado à BR 405, KM 153, Bairro Arizona, Pau dos Ferros-RN, no período de 31 de agosto de 2010 a 03 de setembro de 2010, no horários das 08h às 12h e das 14h às 17h.

No ato da inscrição, o(a) candidato(a) deverá apresentar os seguintes documentos: Cópia da Cédula de Identidade; Requerimento de Inscrição assinado pelo candidato(a) ou seu procurador(a) devidamente habilitado, dirigido ao Presidente da Comissão Examinadora; Declaração de que tem conhecimento e aceita as normas estabelecidas neste comunicado; Certificado de Especialista e Curriculum Vitae, acompanhado de cópia da documentação comprobatória dos títulos.

Os documentos apresentados ficarão em poder do Departamento de Educação, podendo o(a) candidato(a) não-classificado(a), solicitá-los após 72 (setenta e duas horas) da divulgação do resultado final da seleção.

III – PROCESSO SELETIVO, CRITÉRIOS E CLASSIFICAÇÃO:

A seleção será realizada em 02 (duas) etapas: prova didática (eliminatória) e prova de títulos (classificatória).

A prova didática consistirá em aula teórica sobre um dos temas sorteado e terá duração de 40 (quarenta) minutos.

A critério da Comissão Examinadora, após o término da aula, o(a) candidato(a) terá até 10 (dez) minutos para responder às arguições.

O(a) candidato(a) deverá entregar a cada examinador(a), antes do início da prova didática, 03 (três) cópias do seu plano de aula.

Os critérios avaliativos da prova didática abordarão aspectos sobre o domínio de conteúdo, a metodologia utilizada, distribuição da apresentação no tempo previsto, capacidade de comunicação e fluência verbal e o plano de aula apresentado, sendo classificado o (a) candidato (a) que obtiver nota igual ou superior a 7,0 (sete). A convocação obedecerá a ordem de classificação do(a) candidato(a).

A chamada para a realização da prova didática, assim como o tema obedecerá à ordem do sorteio, na presença obrigatória dos(as) candidatos(as).

Os(as) candidatos(as) ausentes estarão automaticamente eliminados(as).

Os temas para a prova didática estão descritos no quadro abaixo:

TEMAS/ÁREAS

1

Saberes necessários à prática docente na contemporaneidade (Fundamentos e Especialização/Fundamentos).

2

Ensinar e aprender na Educação Básica (Especialização/Fundamentos.).

3

A dimensão social do ato educativo (Fundamentos.

4.

Tendências atuais da Psicologia da Educação e sua aplicabilidade a espaços escolares e não-escolares. (Fundamentos).

5.

As mudanças na legislação da Educação básica - Avanços e recuos (Especialização/Fundamentos.)..

Bibliografia Básica Sugerida

CARPIGIANI Berenice. Psicologia: das raízes aos movimentos contemporâneos. São Paulo: Editora Cengage Learning, 2000.
BREZEZINSKI, I. (Org.) LDB Dez anos depois: reinterpretação sob diversos olhares.2. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

COLL, C.; PALACIOS, J.; MARCHESI, A.(Org.) Desenvolvimento psicológico e educação: psicologia evolutiva. Porto Alegre: Artmed, 2000.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia:

NOVOA, Antonio (org.) Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

SACRISTÀN, J. G.; PÉREZ GOMES, A.I. Compreender e transformar o ensino. Trad. Ernani F. da Fonseca Rosa, 4. ed., Porto Alegre: ArtMed, 1998.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Pela mão de Alice. O social e o político na pós-modernidade. São Paulo: Cortez, 2000.

TARDIF, Maurice. LESSARD, Claude. LAHAYE, Louise. Professores face ao saber. Esboço de uma problemática do saber docente. Teoria e Educação. 2001.

TOMASI, L.;WARDE, M.J.;HADDAD, S. (Org.) O banco mundial e as políticas educacionais. São Paulo: Cortez, 1996.

WEISZ, T. (Org.). O diálogo entre o ensino e a aprendizagem. São Paulo: Ática, 2000.

ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

A prova de títulos constará da apreciação dos documentos comprobatórios apresentados pelo(a) candidato(a) no ato da inscrição e serão pontuados, pela Comissão Examinadora segundo o quadro abaixo:

Item de Avaliação

Pontuação

Pontuação Máxima

Formação Acadêmica

Curso de Especialização em Educação e/ou áreas afins

1,0 ponto/curso

3,5 pontos

Curso de Atualização na área de Educação com Carga horária mínima de 30 horas

0,5 ponto/curso

Produção Acadêmica e Participação em Eventos

Participação em eventos: congressos, seminários e congêneres, na área de Educação

0,5 ponto/evento

3,0 pontos

Artigo publicado em periódico ou em evento técnico-científico em Educação

0,5 ponto/obra

Resumo publicado em evento científico em Educação

0,5 ponto/obra

Experiência Profissional

Experiência profissional comprovada como professor do Ensino Superior

1,0 ponto/semestre

3,5 pontos

Total

10,0 pontos

Só participará da prova de títulos (análise do Curriculum Vitae), o(a) candidato(a) que obtiver média igual ou superior a 7,0 (sete) na prova didática.

O(a) candidato(a) classificado(a) será convocado(a) de acordo com as necessidades do Curso de Pedagogia para o semestre letivo 2010.2.

Em caso de empate, será utilizada, como critério de desempate entre os(as) candidatos(as), a maior nota na Prova Didática, Persistindo o empate será levado em conta o critério da maior idade e, por fim, ainda havendo empate, a maior nota na prova de títulos.

IV – CRONOGRAMA DE ATIVIDADES:

A realização do Processo Seletivo obedecerá ao calendário discriminado no quadro abaixo:

Atividades

Datas

Horários

Local

Inscrições

31 de agosto a 03 de setembro

8h às 11h e das 14h às 17h

Departamento de Educação

Sorteio do tema e ordem de chamada para a prova didática

08 de setembro

9h

Departamento de Educação

Prova didática

09 de setembro

9h

Sala de Multi-mídia

Prova de títulos

10 de setembro

9h

Departamento de Educação

Divulgação do resultado final

10 de setembro

19h

Departamento de Educação

Pau dos Ferros/RN, em 31 de agosto de 2010.

Multidão vai às ruas para saudar Dr. Zé Júlio

Comício em Umarizal

Comício em Janduís

Pelos municípios por onde passou, a Carreata do PT atraia uma multidão às ruas para ver a comitiva dos candidatos do partido do presidente Lula passar. E isso ficou ainda mais evidente no segundo dia de mobilização. Dr. Zé Júlio era um dos mais aguardados pela população.

A caravana partiu de Campo Grande e fez sua primeira parada em Janduís, onde o prefeito do PT, Dr. Salomão Gurgel, que vota em Dr. Zé Júlio para Deputado Estadual, esperava para recepcionar a chegada dos candidatos.

Logo depois, eles partiram para Messias Targino, onde houve mais uma parada, e Patu, onde apenas saíram em carreata. Em seguida passaram por Rafael Godeiro, onde mais uma vez o povo acompanhou atentamente os candidatos do PT.

Almino Afonso, Frutuoso Gomes e Lucrécia foram os destinos seguintes. A partir daí Dr. Zé Júlio seguiu sozinho. Na cidade natal de Vagner Araújo, o candidato a deputado estadual promoveu uma grande carreata, que rumou para Umarizal, para participar de comício no palanque da Coligação “Vitória do Povo”, com Iberê, Vilma de Faria, Hugo Manso e Fátima Bezerra . Lá encontrou outros apoiadores: Pastor Ivanildo, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e ex-candidato a Prefeito, seu filho, Natan Iataghan, e Eliete, vereador pelo PT local.

Dr. Zé Júlio foi o último a falar. “Quero ser representante de cada um de vocês, por que sou conhecedor da realidade de nosso povo, pois sou daqui e sei sentir, ouvir e atender as expectativas e necessidades da região”, finalizou.

Dr. Zé Júlio movimenta Médio e Alto Oeste ao lado de Fátima Bezerra e Hugo Manso

Comício em Antonio Martins

Comício em Antonio Martins

Entrada de Pau dos Ferros
Dr. Zé Júlio em Caraúbas

Uma onda vermelha tomou conta do Médio e Alto Oeste potiguar, sábado e domingo passados, 28 e 29 de agosto, respectivamente. A Carreata do PT arrastou multidões por onde passou. Nos dois dias foram percorridos 19 municípios e cerca de 300km de estrada para levar a mensagem dos candidatos do presidente Lula.

A caravana trazendo o candidato a Deputado Estadual Dr. Zé Júlio, a Deputada Federal e candidata a reeleição, Fátima Bezerra e o candidato a Senador, Hugo Manso, saiu de Caraúbas passando por Apodi, Severiano Melo, Itaú, São Francisco do Oeste e chegando a Pau dos Ferros, onde houve concentração e um comício relâmpago.

O Deputado Estadual Fernando Mineiro, que disputa a reeleição se juntou ao grupo, perfazendo parte do roteiro previsto, além do Vice-Prefeito de Campo Grande, Caramuru (PT), o diretor da DFA/RN (Delegacia Federal da Agricultura do RN), Valmir Alves, e o líder comunitário da comunidade rural de Mirandas, Peninha.

Na comitiva seguiam ainda o vereador de Antonio Martins, Jairo Fernandes (PT), a vereadora Lívia Sonale (PT), de Rafael Fernandes, e os professores da UERN e membros do PT, Flaubert Torquato e Aldacéia Oliveira, presidente do Diretório de Pau dos Ferros.

Dr. Zé Júlio e a comitiva prosseguiu em caravana para Marcelino Vieira, Alexandria e, por fim, Antonio Martins, sua terra natal, onde um palanque armado aguardava a chegada dos candidatos do PT.

Defronte a Praça de Eventos e Lazer Adauto Nunes de Aquino, uma multidão esperava ansiosa uma palavra de seu líder maior, Dr. Zé Júlio, que, ao lado do Prefeito Edmilson Fernandes (PT), de Fátima Bezerra e Vagner Araujo, candidato a vice-governador na chapa encabeçada por Iberê Ferreira de Souza, que se juntou ao grupo em Rafael Fernandes, comandou o comício. Ao lado deles, a vereadora de Alexandria, Corrinha do PT e Adaumária, de Serrinha dos Pintos.

“Como filho natural desta terra peço a cada um de vocês o apoio e o voto para me eleger Deputado Estadual”, disse o candidato, encerrando as atividades do primeiro dia de movimentação política.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Governo propõe salário mínimo de R$ 538,15 em 2011.


Os ministros do Planejamento, Paulo Bernardo, e de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, entregaram hoje ao presidente do Congresso, senador José Sarney (PMDB-AP), o projeto de Lei Orçamentária para 2011, que contempla os recursos que nortearão o primeiro ano de mandato do futuro presidente da República. O texto mantém a regra de reajuste do salário mínimo aplicada nos anos anteriores e fixa o valor da remuneração em R$ 538,15, segundo Bernardo.

O projeto estipula ainda um crescimento de 4,5% do Produto Interno Bruto (PIB) relativo a 2011. Mas Bernardo ressaltou que esse porcentual pode subir para 5,5% em novembro, quando o Ministério do Planejamento revisar os índices. O reajuste do salário mínimo leva em conta o crescimento real do PIB de dois anos anteriores mais a inflação. Como o PIB de 2009 ficou negativo em 0,2%, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o relator da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), senador Tião Viana (PT-AC), queria propor a correção pela média de crescimento do PIB de 2008 e 2009, o que elevaria o valor para R$ 550. No entanto, o governo vetou a iniciativa.

Adiantando-se às críticas das centrais sindicais, que ainda vão pressionar o governo para elevar esse valor, Paulo Bernardo disse que o reajuste será compensado em 2012, porque o crescimento do PIB estimado para 2010 é de 7%.

Outra novidade é que a meta de superávit primário (economia para o pagamento dos juros da dívida pública) de todo o setor público deve ser inferior aos 3,3% do PIB inicialmente previstos. Isso porque a LDO fixou a meta em valor nominal, equivalente a R$ 125,5 bilhões. Mas, diante do crescimento da economia, esse valor já corresponde a 3,2% do PIB

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Pioneira da inclusão do deficiente visual morre aos 91 anos.

Trajetória. Dorina perdeu a visão aos 17 anos e dedicou-se a defender a educação para cegos


Memória

DORINA NOWILL 1919 - 2010

A professora Dorina de Gouvêa Nowill, uma das maiores ativistas pela inclusão dos deficientes visuais no País, morreu ontem aos 91 anos. Segundo informações de familiares, ela estava internada havia cerca de 15 dias no Hospital Santa Isabel, na zona oeste, para tratar uma infecção, mas acabou sofrendo parada cardíaca. O velório deve ser realizado hoje na sede da fundação que leva seu nome.

'Foi uma morte praticamente natural', afirma seu filho Alexandre Nowill, que também era seu médico. Dorina, que era casada com Edward Hubert, deixa outros quatro filhos - Cristiano, Denise, Dorininha e Márcio Manuel -, além de 12 netos.

A professora ficou cega aos 17 anos por causa de uma doença que os médicos nunca conseguiram entender. Decidiu então dedicar a vida à luta pela inclusão de pessoas na mesma condição.

Com um grupo de amigas, criou em 1946 a Fundação para o Livro do Cego no Brasil, que em 1991 recebeu seu nome. Junto com o Instituto Benjamin Constant, no Rio de Janeiro, a Fundação Dorina Nowill Para Cegos foi uma das pioneiras na produção de livros em Braille, na distribuição gratuita dessas obras para deficientes visuais e no desenvolvimento de técnicas mais modernas para que o cego consiga ler - como livros falados e vozes sintetizadas no computador.

Superação. Dorina foi a primeira aluna cega a matricular-se numa escola regular em São Paulo. Na época, deficientes visuais praticamente não tinham acesso à cultura e à informação por causa da falta de livros adaptados.

Em 1945, conseguiu convencer a Escola Caetano de Campos, onde cursava o magistério, a implantar o primeiro curso de especialização de professores para o ensino de cegos. Após diplomar-se, viajou para os Estados Unidos com uma bolsa de estudos paga pelo governo americano para frequentar um curso de especialização na área de deficiência visual, na Universidade de Columbia.

Quando regressou ao Brasil, concentrou esforços na fundação da primeira imprensa Braille de grande porte do País. Hoje, a editora é uma das principais fontes de renda da fundação e produz 80% dos livros do Ministério da Educação para deficientes visuais e encomendas especiais de cardápios para restaurantes, instruções de segurança de companhias aéreas, best-sellers, etc.

Dorina dedicou-se também à regulamentação da educação para cegos. Na Secretaria de Estado da Educação de São Paulo, foi responsável pela criação do Departamento de Educação Especial para Cegos. Em 1961, graças a seu empenho, o direito à educação ao cego virou lei.

Em Brasília. Entre 1961 a 1973, Dorina dirigiu o primeiro órgão nacional de educação de cegos no Brasil, criado pelo Ministério da Educação, Cultura e Desportos. Realizou programas e projetos que implantaram serviços para cegos em diversos Estados, além de eventos e campanhas para a prevenção da cegueira.

Em 1979, a professora foi eleita presidente do Conselho Mundial dos Cegos. Em 1981, Ano Internacional da Pessoa Deficiente, ela falou na Assembleia Geral das Nações Unidas como representante brasileira. Dorina também trabalhou intensamente para a criação da União Latino Americana de Cegos e foi diversas vezes premiada por seu trabalho.

Em 1989, o Congresso Nacional ratificou a Convenção 1599 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que trata da reabilitação, treinamento e profissionalização de cegos. Esse foi mais um desdobramento do trabalho que Dorina havia começado 18 anos antes, com o primeiro centro de reabilitação para cegos criado por sua fundação.

CRONOLOGIA

1946

O começo

Dorina cria a Fundação para o Livro do Cego no Brasil, que em 1991 levou seu nome

1950

Em massa

É instalada na fundação a primeira imprensa Braille de grande porte do País para produção industrializada de livros para cegos

1962

Reabilitação

A fundação cria o primeiro centro de reabilitação para cegos do País

domingo, 29 de agosto de 2010

A VIDA E A GRAMÁTICA



Caros amigos leitores e visitantes desse blog há muito tempo fui convidado para colaborar com esse espaço no intuito de, a partir da escrita, poder contribuir propondo algumas reflexões, não tidas aqui como verdades absolutas, mas como pontos de discussão que possam, entre divergências e convergências, construir experiências de vida acreditando sempre no valor do diálogo e do respeito às diferentes opiniões.

Assim, aceitei tal convite e começo esse desafio da escrita estabelecendo uma relação, talvez não muito tranquila, entre nossa vida e sua “gramática”. Trata-se de uma relação que acontece de forma cotidiana, nunca com ponto final, mas com reticências e, em muitos casos, colocando-nos entre pausas e vírgulas.

Para essa árdua missão convido a você leitor (internauta) a somar na descoberta do que possa estar nas entrelinhas do que aqui escrevo, pois ao tentar fugir das armadilhas das letras, das palavras, muitas vezes acabo por elas apreendido. Deste modo, quero aqui contar com você leitor, com sua capacidade de me compreender além das letras. Posso contar? Então vamos nessa?!!

Em nossa vida cedo somos levados para um lugar, um espaço que na boca de muitos “é onde está o nosso futuro”. Esse lugar é a escola. Passamos quase uma vida toda na incumbência de aprendermos coisas necessárias à nossa vida. Lá, na escola nos deparamos com todo tipo de sentimento que vem com as lições que nos são ensinadas: medo, inseguranças, alegrias, potencialidades, coragem, enfim, uma série de antíteses sentimentais que nos constitui como sujeito além de nós mesmos. Tudo isso vem organizado em disciplinas a nos disciplinar: português, matemática, ciências, história, geografia etc.

Assim, motivados pelas necessidades do viver, conseguimos, mesmo sem conhecer muito as teorias, usar tais conhecimentos de forma interdisciplinar. Afinal, o eixo que articula tais conhecimentos é a própria vida. Deste modo, caro leitor (internauta), foi pensando nessa articulação da escola, ou melhor, das disciplinas da escola com a vida, que hoje, instigado por fatos ocorridos recentemente, e ai prefiro ocultá-los para que você possa exercer de maneira crítica a sua atividade de leitura, busco traçar um percurso interdisciplinar, principalmente entre a História e a Língua portuguesa.

Neste sentido amigo leitor (internauta), procurei, considerando alguns conhecimentos de minha vida escolar, indagar sobre a gramática que compõe a nossa vida, ou melhor, da gramática da vida prescrita pelos contextos de produção da comunidade onde vivo. Isso porque somos seres sociais e nossa gramática se constitui pelas normas dos acontecimentos.

Assim sendo, e falando do lugar que ocupo socialmente, me deixo, pelo papel da vida, guiar-me por uma importante interrogação: como aplicar uma gramática da vida?

Como estudante, busquei entre os recursos disponíveis no construto da aprendizagem, algumas outras vozes que pudessem somar com a minha no tocante a essa reflexão. Não demorou muito e logo percebi um ecoar de uma outra voz, anônima, e que coloca a vida como sujeito de uma oração sempre com predicados. Diz então a voz de um texto outro:

Gramática da vida.

A vida é feita para ser vivida.

Ponto.

Mas para vivê-la são necessários dois pontos:

- Descansar nas vírgulas,

- ponderar quando se lhe junta um ponto;

- cismar nas reticências...

A gramática da vida está repleta de reticências...

São - O suspense, o sonho da vida!

O sonho suspenso até se sonhar de novo!

A vida, uma gramática aplicada a vivê-la,

Onde não se aprende realmente na teoria, por pena,

Para nosso azar, por vezes, é mesmo na prática,

Com frequência obrigatória e nota definitiva...

A gramática da vida se aplica, então, a uma prática constante que nos coloca frente à história de nós mesmos, à história de nossa comunidade. E nesse trilhar da história que compõem nossa cidade, me comporto então como os advérbios de adversidade, pois, entre decepções, nascem sempre novas esperanças. É preciso acreditar!

E falando nisso, amigo leitor, como será que se conjuga o verbo acreditar de acordo com a gramática da vida de nossa comunidade?

Sei que, de acordo com gramática de minha língua, pelas aulas que tive, há algumas combinações de modos e tempos verbais possíveis, porém, com base na gramática da vida, no enredo da história do hoje, só consigo recordar o imperfeito do Indicativo do verbo acreditar:

eu acreditava

tu acreditavas

ele acreditava

nós acreditávamos

vós acreditáveis

eles acreditavam

Como é difícil a gramática da vida... Mas quem sabe, pelo percurso sempre dinâmico da história possa eu recuperar outro tempo e modo de conjugação desse verbo tão transitivo indireto, pois o verbo ACREDITAR é um daqueles que pede um COMPLEMENTO, ou seja, precisa sempre de algo mais.

Com isso, e pra finalizar, se existisse então uma “matemática” para esse verbo, pelo complemento que ele exige, essa matemática seria então uma matemática de SOMA e não de SUBTRAÇÃO.



Gevildo Viana

Mega-Sena Acumulou !!!

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 1209 da Mega-Sena. Os números sorteados neste sábado foram: 05 – 14 – 17 – 30 – 35 – 38. O próximo concurso deve pagar R$ 70 milhões.

A quina teve 251 apostadores, que levarão R$ 14.955,49 cada. Outras 16.146 pessoas acertaram a quadra e receberão R$ 332,13 cada.

Dilma abre 24 pontos na nova pesquisa Ibope.



O Ibope divulgou no fim do sábado (28) mais uma pesquisa sobre as intenções de voto para a Presidência da República. A candidata do PT, Dilma Rousseff, venceria no a disputa no primeiro turno com 51% dos votos, enquanto José Serra (PSDB) teria 27% e Marina Silva (PV) teria 7%. a margem de erro da pesquisa é de 2%.

Segundo os números da pesquisa encomendada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de São Paulo, Dilma teve um crescimento de 8% com relação à consulta realizada entre os dias 12 e 15 de agosto, quanto a petista aparecia com 43% e Serra com 32%. Marina Silva, por sua vez, caiu 1%.

Já em um cenário de segundo turno entre Dilma e Serra, a petista novamente venceria a disputa com 55% contra 32% de José Serra. Na consulta anterior, que também tinha margem de erro de 2%, Dilma venceria o tucano por 48% a 37%.

Avaliação

Na consulta encomendada pelo O Estado de São Paulo e pela Globo também foi levantada a avaliação do Governo do presidente Lula. A gestão petista foi considerada ótima ou boa por 78%, enquanto 17% consideraram regular e 4% acharam ruim ou péssima.