terça-feira, 10 de agosto de 2010

Interditado


Pedido do fechamento do estádio partiu do promotor de Defesa do Consumidor Augusto Peres
Foto: Eduardo Maia/DN/D.A Press


A falta de um gerente de segurança e de monitores para orientar os torcedores fez com que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) interditasse o estádio Machadão por tempo indeterminado. Caso a Secretaria de Esportes de Natal (Sejel) não cumpra as exigências citadas acima até o dia de hoje, é possível que os jogos de América (sábado pela Série B) e Alecrim (domingo pela Série C) não possam ser jogados no Machadão.

Segundo o promotor de Defesa do Consumidor, José Augusto Peres, a interdição se deu ao fato de a Sejel não ter atendido uma determinação feita pela Polícia Militar em 5 de maio deste ano, momento em que foi feito o laudo de segurança do estádio. "A polícia concedeu o laudo com as ressalvas de que precisava indicar um gerente de segurança e contratar monitores para orientar os torcedores durante as partidas. O prazo era que isso fosse feito em até 45 dias, mas 90 dias se passaram e como nada foi feito, o estádio perdeu o laudo de segurança. Entãoeu notifiquei a situação à CBF que, devido a falta do laudo não pode autorizar jogos no Machadão", explicou o promotor.

O presidente da Federação Norteriograndense de Futebol (FNF), José Vanildo, disse que recebeu ontem à notificação da CBF sobre a interdição do Machadão e que no mesmo dia notificou os clubes do América e Alecrim, além da própria Sejel para que o problema fosse resolvido o mais rápido possível. "Tenho convicção de que essa questão vai ser resolvida dentro do prazo, pois nem os clubes nem o futebol potiguar podem ser prejudicados", ressalta Vanildo.

Prazo

José Augusto Peres reforçou que caso o problema seja resolvido depois do prazo estipulado, no caso hoje, caberá à CBF autorizar ou não a realização dos jogos do final de semana, mas sempre dentro dos prazos estipulados pelo Estatuto do Torcedor. O presidente da Liga do Nordeste e conselheiro do América, Eduardo Rocha, se disse indignado com essa situação. "Trata-se de uma recomendação feita no mês de maio e que até agora nada foi feito. Acredito que a secretaria vai tomar as medidas devidas para que nem América nem Alecrim sejam prejudicados. O ministério público está apenas pedindo o que determina o estatuto do torcedor", alerta Rocha. A reportagem do Diário de Natal tentou o contato com o titular da Sejel, Chagas Catarino, mas não foi atendida pelo celular.

FONTE: DIÁRIO DE NATAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça aqui o seu comentário.