domingo, 23 de maio de 2010

Jornal De Fato traz matéria interessante sobre o desenvolvimento de Pau dos Ferros e as consequências deste desenvolvimento.


Oficialmente, o município de Pau dos Ferros tem pouco mais de 27 mil habitantes, porém o quadro real do número de pessoas circulando na cidade diariamente passa de 50 mil, que vêm à procura de serviços públicos, privados, comércio e bancos. Se considerar as cidades da Paraíba e Ceará, convergem para Pau dos Ferros 1,2 milhão de habitantes.

Em se tratando de serviços públicos, Pau dos Ferros é ponto de partida para segurança, educação, saúde, água e energia. Em segurança pública, o 7° Batalhão de Policia Militar (BPM) dispõe de 420 homens para garantir o policiamento preventivo de 36 cidades. A Polícia Rodoviária Estadual tem apenas 22 policiais para se revezar e garantir a fiscalização do trânsito das 36 cidades.

Outro serviço que parte de Pau dos Ferros para o mesmo número de cidades é de polícia investigativa, que conta com poucos agentes/escrivãs e apenas um delegado: Inácio Rodrigues de Lima Neto. A Companhia Energética do Rio Grande do Norte (COSERN) e a Companhia de Águas do Rio Grande do Norte (CAERN) também têm escritório regional na cidade.

Se os serviços de segurança, energia, água e fiscalização do trânsito precisam sair para atender em outras cidades, os serviços oferecidos pelos bancos (Caixa, BB e BNB e Bradesco), comércio, educação e saúde obrigam o cidadão a se dirigir a Pau dos Ferros. Somente estudando nas redes pública, privada e filantrópica são 10.268 estudantes e esse número aumenta anualmente.

E nesse número não estão incluídos os alunos de cinco núcleos de universidades particulares que atendem a partir de Pau dos Ferros. A Central do Cidadão de Pau dos Ferros, segundo informa Eloíde Fernandes, atende de 900 a 1.600 pessoas por dia. "O principal atendimento oferecido aqui é com relação a emplacamento de veículos e emissão de documentos", explica.

Para se ter uma ideia do tamanho da movimentação nos bancos de Pau dos Ferros, a gerência geral da Caixa informou ao prefeito Leonardo Rego que a agência de Pau dos Ferros é a terceira que mais movimenta recursos no Estado. As demais agências também têm movimentação intensa, assim como é registrado o comércio e a industrial que atua no município.

Também é em Pau dos Ferros que são oferecidos, mesmo que de forma precária, serviços de saúde pública no Hospital Regional. A unidade não tem um número preciso de atendimento diário e, mesmo se tivesse, não correspondia ao quadro real, já que muitos dos pacientes, especialmente nas áreas de ortopedia e cardiologia da região se dirigem a Mossoró ou Natal em ambulâncias.

Não existe um número preciso de quantos veículos de transporte alternativo (irregular) chegam diariamente ao município de Pau dos Ferros das 36 cidades do RN e de outras 30 dos Estados da Paraíba e Ceará. O comandante da Polícia de Trânsito, Humberto Pimenta, acredita que sejam mais de 350 levando e trazendo pessoas procurando por serviços e comércio. As rodovias de acesso à cidade são relativamente boas, inclusive após a divisa entre o Ceará e a Paraíba.

Há feira livre na cidade e comércio informal e formal. O secretário de Tributação do Município de Pau dos Ferros, Francisco Correia, informa que atualmente existem cadastrados 1.250 prestadores de serviços e comerciantes em Pau dos Ferros. Interrompem e dificultam o tráfego nas ruas do Centro de Pau dos Ferros. "Das 22h às 5h, Pau dos Ferros fica deserta. Das 5h às 22h, circulam por semana algo torno de 250 mil pessoas de todas as cidades da região", explica.

Solução possível para o município crescer

Com tanta gente circulando nas ruas da cidade, é até natural que apareçam problemas. É o que o professor Gilton Sampaio observa principalmente em relação ao trânsito e ao meio ambiente. Na opinião dele, Pau dos Ferros está crescendo rápido e sem qualquer controle, observando construções praticamente dentro das áreas de rio e um trânsito caótico.

O prefeito Leonardo Rego reconhece o caos do trânsito, assim como várias construções que necessitam de melhor localização, como forma de facilitar o trânsito nas ruas e evitar possíveis prejuízos ao meio ambiente. Porém, ressalta que isso só é possível com um mecanismo legal (Plano Diretor), o que a Prefeitura ainda não dispõe, mas já está providenciando.

"Em 2006, fizemos a primeira tentativa através da Uern. Não foi possível. Em 2009, iniciamos um novo processo, desta vez contratando uma empresa especializada em estudos urbanos. A nossa meta é concluir o Plano Diretor até o final do ano, e nesse processo espero contar com o apoio dos nossos legisladores nos debates que vamos realizar", diz Leonardo Rego.

Sobre a questão do trânsito, o prefeito apontou duas soluções. A primeira, em caráter de emergência, contratar especialistas para sinalizar e fiscalizar o trânsito da cidade. A segunda, "conseguir com o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) a construção do anel viário da cidade para desviar o tráfego pesado da Avenida da Independência", finaliza.

Trânsito e meio ambiente preocupam

Nem sempre Pau dos Ferros teve tanto vigor para crescer. Ganhou fôlego a partir de 2004, com o aquecimento da economia nacional. Junto, cresceu também o Campus Avançado Professora Maria Elisa de Albuquerque Maia, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, que em 2004 tinha 60 professores e hoje são mais de 160 educadores.

Em mesmo ritmo cresceu o número de atendimentos nas áreas de saúde e educação, segundo informa o prefeito Leonardo Rêgo, lembrando que foi necessário investir em calçamento de ruas, construção de praças, escolas e creches. "E como cresce muito rápido e o investimento mudou o quadro em Pau dos Ferros, mas é preciso muito mais", reconhece Leonardo Rego.

Neste intervalo, o número de PMs triplicou na cidade. O Estado havia iniciado investimentos em serviços de saúde, mas parou. O mesmo com relação ao saneamento básico, que atende apenas dois bairros. "Estamos com tudo pronto para recomeçar o projeto de saneamento para atender quase que 90% da área urbana", diz Anderson Araújo, do escritório da Caern.

O empresário "Ligeirinho", nos últimos seis anos, construiu quatro condomínios de apartamentos residenciais e está concluindo o quinto. "Estamos construindo uma grande creche no bairro Alto de São Geraldo, o mais populoso da cidade", diz o prefeito Leonardo Rego. "E é exatamente no setor de educação infantil que observamos uma carência maior na área de educação", explica o professor Gilton Sampaio, que analisa várias pesquisas nas áreas de educação e economia da região.
Fonte: Jornal de Fato e Pau dos Ferros.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça aqui o seu comentário.