quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

PT quer vaga de candidato a senador * Jornal De Fato


O Partido dos Trabalhadores do Rio Grande do Norte definiu, por meio de resolução, que apresentará um no-me para disputar uma vaga ao Senado (já se dispuseram a enfrentar a disputa os ex-vereadores Hugo Manso e Fernando Lucena). A decisão se deu após a posse do vereador Eraldo Paiva, de São Gonçalo do Amarante, na presidência do diretório estadual petista no último sábado, 6. Também ficou definido que continuarão as conversas em torno da eleição ao Governo do Estado com o vice-governador Iberê Ferreira de Souza (PSB) e também com o ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Nunes Alves (PDT).
A deputada federal Fátima Bezerra (PT) observou que a preferência é de continuidade de aliança com o PSB, mas que se dará prioridade à união de forças, no âmbito local, em torno do grupo ligado à campanha da ministra Dilma Rousseff (PT) à presidência da República."Houve a posse com a presença do vice-governador e do ex-prefeito Carlos Eduardo, marcado por muito entusiasmo. Acho que o crescimento da candidatura da ministra Dilma também está embalando o PT. A pesquisa quando o resultado é bom dá muito estímulo e otimismo", disse.

Em seguida, houve a primeira reunião do novo diretório, quando ocorreu o debate sobre a conjuntura tanto no plano estadual como no nacional. "O PT, como sempre faz, tirou uma resolução, e a novidade foi por exemplo na candidatura ao Senado. O PT agora formaliza que vai apresentar um nome para a disputa do Senado. Essa, inclusive, será uma das condições que nós estabeleceremos quando da nossa participação na aliança majoritária. Tiramos o ex-vereador Hugo Manso e Lucena apresentando os nomes para essa disputa."Uma das condições vai ser que o PT dispute uma das vagas para o Senado. Com isso, está afirmando que quer participar de uma chapa majoritária. Uma outra discussão é que o PT reafirmou a resolução do ano passado mantendo a aliança preferencial com o PSB, mas considera legítima a candidatura do ex-prefeito pelo PDT. "O PT vai se esforçar para que possamos unificar todos no primeiro turno. Se não for possível a questão de termos um palanque já unitário no primeiro turno, evidentemente que vamos dialogar com a realidade que seria ter duas candidaturas", disse a deputada petista.

O PT não bateu o martelo ainda. Isso deverá ocorrer no encontro estadual em abril. A candidatura de Iberê diz respeito ao PSB e a de Carlos ao PDT. Então, se não for possível, a ministra Dilma poderá ter dois palanques no RN. Essas discussões estão em andamento no plano nacional."Eu diria que preferimos aguardar o desfecho dessas negociações. O PT e o presidente Lula continuam empenhados para construir uma candidatura unitária. Nos planos regionais, o PT e a candidatura de Dilma, o ideal é que tenhamos o máximo de unitárias, mas onde não for possível. Eu diria que nós vamos aguardar esse debate porque essas discussões estão em andamento ainda e o próprio vice-governador tem colocado que mesmo que Ciro seja candidato ele apoiaria a candidatura da ministra Dilma."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça aqui o seu comentário.