sábado, 21 de novembro de 2009

A educação pública e o Brasil

Na cidade de Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, está sendo realizada a 33ª reunião ordinária da Reditec, que congrega as Instituições Federais de Educação Profissional e Tecnológica com o tema: “Educação Profissional e Tecnologia na Rede Federal: compromisso com o desenvolvimento e a inclusão”.


O evento prossegue até a próxima sexta feira. No decorrer dos quatro dias de reunião, cerca de 300 participantes, entre Reitores, Diretores de Cefets, Professores e Servidores da Rede de todo o país debaterão os sub-temas: políticas de incentivo à pesquisa e à inovação; modelo de gestão para os Institutos Federais; a verticalização da pesquisa nos IFETs; importância da capacitação na gestão pública; ações de extensão retroalimentando a relação instituição/comunidade de maneira transformadora; políticas de inclusão e acessibilidade, entre outros.

Na ocasião tive a honra de ser agraciado com a Medalha Juscelino Kubitschek e uma placa alusiva ao evento. A generosidade dos integrantes da Rede me deixou profundamente emocionada. A solenidade contou com a presença do Secretário de Educação Tecnológica do MEC, professor Eliezer Pacheco e sua equipe, bem como o prefeito da cidade.

A Rede Federal de Educação Profissional tem uma importância cada vez maior no sistema educacional brasileiro, por ser um projeto de educação que contempla o desenvolvimento do país, que se reconhece como um projeto de nação. Suas salas de aula acolhem milhares de jovens até então apartados da chance de cursar uma escola de qualidade e hoje, devido sua formação, são disputados pelo mercado de trabalho em ciência e tecnologia.

Temos clareza da importância e do papel revolucionário que a Rede representa, bem como seu papel estratégico na construção de uma nação com educação de qualidade para seus jovens, um fator indispensável na construção de nosso futuro.

É emocionante ver o entusiasmo, a alegria e a dedicação com que trabalham os gestores, professores e servidores. Dividi a homenagem com todos eles, que tecem com tanto carinho, dedicação, seriedade, responsabilidade e compromisso este novo momento da educação profissional, que é motivo de orgulho do povo brasileiro.

Agradeço a homenagem que me fizeram, não com sentimento de vaidade, mas como um incentivo para dar continuidade à luta por educação de qualidade para todos. Ao mesmo tempo dedico esta homenagem aos estudantes pobres, aos filhos do povo, que hoje estão tendo oportunidades de acesso a uma educação de qualidade.

A 33ª reunião se dá no momento em que a Rede completa 100 anos de existência e vive uma expansão jamais vista ao longo de sua história. Afinal de contas, levamos 100 anos para ter 144 escolas e, em menos de 8 anos entregará mais 214 o que totalizará 358 escolas.

É importante aqui destacar os obstáculos que tivemos de superar, as pedras que tivemos de afastar do caminho, oriundas das políticas equivocadas dos governos anteriores. Refiro-me ao Decreto 2.208 que separou o ensino técnico e médio, bem como a Lei de 1998 que interditou a criação de novos Cefets, o arrocho salarial, o sucateamento das universidades, entre outros.

Foi preciso revogar o Decreto e alterar a Lei, autorizar recursos para a recomposição dos quadros, ações legislativas voltadas pra a melhoria salarial dos servidores, do qual tive a alegria de ser relatora.

Depois de tanto empenho, esta luta não pode parar. Vamos prosseguir na construção da Rede, para que o país possa ter mais escolas. Quanto mais escolas pudermos instalar pelo Brasil afora, mais estaremos avançando na conquista da cidadania e de uma sociedade fraterna e generosa, com justiça social e oportunidades iguais para todos.

Fátima Bezerra PT – RN


Por que Luiz Inácio desagrada Caetano Veloso

Por Marta Peres, Professora da UFRJ.

Grande artista, não faz falta a Caetano Veloso um diploma de nível superior. Seus recentes comentários injuriosos a respeito do presidente com a maior aprovação da História do Brasil são indiscutivelmente coerentes - com sua visão de mundo, com a visão da classe a que pertence, assim como dos meios de comunicação que as constroem incansavelmente, bloqueando qualquer ensaio de questionamento ao seu insistente pensamento único. Ao se referir a Lula como 'analfabeto', o termo está sendo utilizado de forma equivocada, pois 'analfabetismo' significa 'não saber ler nem escrever'. Imagino que ele esteja se remetendo, de maneira exagerada, ao fato de Lula não ter diploma de graduação, coisa que o compositor tampouco possui. Esse tipo de exigência não é nem mesmo cogitada ante outros artistas geniais como Milton, Chico, Cora Coralina... Gilberto Gil, ex-ministro do governo Lula, graduou-se, mas não em música... 'Ah, mas eles são artistas...'. E não seria a Política uma arte? Um pouco de Platão e Aristóteles não faz mal a ninguém... Quanto à suposta 'cafonice' de nosso presidente, situado na revista americana Newsweek em 18° lugar entre as pessoas mais poderosas do mundo, Pierre Bourdieu (1930-2002) nos traz uma contribuição preciosa. De origem campesina, como Lula, o sociólogo francês criou conceitos que desmoronam o velho chavão do 'gosto não se discute'. Para Bourdieu, não só se deve discutir, como estudar, compreender, aquilo que se trata de, mais que uma questão de 'classe', uma questão de 'classe social'. Além do enorme abismo do ponto de vista propriamente econômico, os 'gostos diferenciadores', referentes ao 'estilo de vida', consistem na maior marca de violência simbólica e num fundamental instrumento de legitimação da dominação das classes dominadas pelas dominantes. Não somente é desigual a distribuição de renda numa sociedade dividida em classes, mas também o acesso à educação formal e informal - o hábito de freqüentar museus, espetáculos de teatro, música, dança - à sofisticação do vocabulário, às regras de etiqueta, à constituição da apresentação pessoal, dos 'modos' e atitudes corporais. Obviamente, alcançar maior poder aquisitivo não possibilita a aquisição desse 'capital cultural' adquirido ao longo de toda uma vida no convívio com 'outras pessoas elegantes', ou seja, com a 'elite'. Uma expressão precisa para designá-las, utilizada corriqueiramente na Zona Sul do Rio, é 'gente bonita' - como sinônimo de portadores de determinadas marcas de classe evidentes pelo vestuário, linguajar, cabelos, corpos, modos, atitudes. Bourdieu demonstrou os aspectos, às vezes despercebidos, da 'construção social' do gosto, seja o gosto de Caetano, das elites, dos que gostariam de ser elite, pretendendo se distinguir da massa supostamente 'inculta'. Em outras palavras, as classes às quais pertencemos determinam, em grande parte, nossos critérios aparentemente inatos do que vem a ser elegância, numa relação de constante imitação, pelos 'cafonas', dos considerados detentores dos critérios de julgamento estético. Lula não segue a corrente dos imitadores: mantém-se fiel à cafonice que o identifica com suas origens populares. Ah, como isso incomoda... Embora seja assistido desde tempos imemoriais, lembrando que Norbert Elias estudou como a nobreza francesa era imitada por suas congêneres do resto da Europa no Ancien Régime, aqui, no Brasil, o fenômeno da distinção alcança as fronteiras do 'nojo', das reações fisiológicas desagradáveis, diante de tudo que possa remeter a atributos das classes populares, tudo que venha do 'povão'. Não é à toa que o REUNI - Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais que tem como objetivo "criar condições para a ampliação do acesso e permanência na educação superior, no nível da graduação, pelo melhor aproveitamento da estrutura física e de recursos humanos existentes nas Universidades Federais" - seja alvo de críticas ferrenhas, apesar de vir ao encontro de demandas por mais vagas já presentes nos protestos estudantis da França e do Brasil há quarenta anos, os quais, aqui, jamais sequer haviam sido objeto de atenção pelos governos. A demanda por cidadania e não por privilégios restritos é assunto que dá nojo, dá 'gastura', como se fala no interior do Brasil. Mas isso são outros quinhentos... Embora o acesso universal à educação deva ser uma meta, podemos questionar - como muitos eminentes acadêmicos questionam - que a universidade seja a única fonte de conhecimento legítimo, sob o risco de repetirmos, em outros moldes, o papel de detentora do saber exercido pela Igreja Católica Medieval. O que seria de nós sem a contribuição inestimável de tantos notáveis que por ela não passaram? Pode-se argumentar, contudo, que o referido compositor não tem preconceito de classe ou contra a falta de diploma, pois pretende votar em Marina Silva que, como Caetano, não possui graduação, e que, como Lula, tem origem humilde. (O curioso é que, sendo a candidata à sucessão de Lula uma economista, dessa vez, a mesma é cobrada por não possuir mestrado e acusada de ter lutado contra a ditadura militar: sempre inventarão motivos contrários a políticas públicas que ferem ideais de distinção de classe). Ao contrário do que parece, os atributos de Marina caem como uma luva para nossa conservadora classe média leitora do Globo e da Veja e que jamais se assumirá preconceituosa: portar a nobre e indignada bandeira da causa verde faz disparar sua pontuação no quesito 'elegância'. Os que se preocupam ardentemente com a possibilidade de vida de seus netos e bisnetos são tocados em seu íntimo pelas questões ligadas à salvação das florestas. Só que, mais uma vez, como a História sempre ajuda a enxergar, o buraco - na camada de ozônio - é mais embaixo: a destruição do planeta é a consequência inexorável de um sistema perverso que nele vem se instalando há alguns séculos. Ao longo de suas notáveis transformações, atingiu um ponto em que passou a se dar conta de seu próprio potencial de destruição e de identificar na preocupação com a natureza uma boa - e quem sabe, lucrativa - causa. Do ponto de vista das chamadas 'Gerações' de Direitos Humanos, ao longo dos desdobramentos do capitalismo, a causa ecológica nasceu como a terceira filha. Enquanto a primeira, a segunda e a terceira gerações são identificadas com os ideais da Revolução Francesa - Liberdade, Igualdade e Fraternidade - a quarta, mais recente, relaciona-se a questões da Bioética e aos movimentos de segmentos minoritários ou discriminados da sociedade. A liberdade refere-se aos direitos civis e políticos, chamados de 'direitos negativos', pois limitam o poder exorbitante do Estado, que deve deixar o indivíduo viver e atuar politicamente. A igualdade consiste na luta pelos direitos sociais, culturais, econômicos, e demandam uma atuação 'positiva' do Estado no sentido de realizar ações que proporcionem condições de acesso de todos os indivíduos à educação, saúde, moradia, assistência social, dignidade no trabalho. Finalmente, a fraternidade esta ligada à ecologia, à preocupação com o destino da humanidade, irmanada por sua condição de habitante do planeta Terra. Como se situaria o Brasil nessa História? Não vivemos mais no tempo de Marx, das jornadas de trabalho de 18 horas que não poupavam mulheres e crianças caindo mortas de fome ao redor das grandes máquinas sujas das fábricas. Hoje, longos tentáculos buscam mão de obra barata como a planta se dirige à luz do sol e os dejetos - da poluição e os seres humanos excluídos da participação em suas benesses - são escondidos do campo de visão dos que têm 'bom gosto'. Depois de destruir suas próprias florestas, os países ricos se preocupam e ditam regras da etiqueta politicamente correta aos pobres, abraçando a 'causa ecológica' com a mesma eloqüência que ontem defenderam que a 'mão invisível do mercado' traria a felicidade geral. Hoje, uma mão visível segura imponente a bandeira do orgulho verde. Porém, o corpo do qual faz parte constitui-se de fome, miséria, doença, condições abaixo de qualquer noção de dignidade da pessoa humana. A bandeira parece ser de um médico, mas o sujeito que a segura é um 'elegante' monstro. Chega a ser apelativo falar em salvar o planeta tirando de contexto uma causa que ninguém ousará contestar. Mas que tal pesquisar casos concretos de vínculos incontestáveis entre partidos verdes de diferentes países com os setores mais conservadores das respectivas sociedades? Visualizando a imagem do monstro, de braços dados com uma chiquérrima Brigitte Bardot salvando animais, faz todo sentido. A Bela e a Fera... De modo algum defendo qualquer teleologia e que tenhamos que passar por fases que os outros já passaram. Nem que os sete anos de Governo Lula tenham se proposto a enfrentar bravamente, contra tudo e contra todos, o capitalismo que domina quase toda a superfície do planeta. Ninguém falou em Revolução, aliás, não era esse o combinado. Apenas assisto a um esforço hercúleo de instaurar políticas que ferem o coração desses mecanismos de violência, real e simbólica, que o julgamento do que é ou não cafona só vem a perpetuar, no sentido de minimizar o enorme fosso que separa os que têm e os que não têm acesso a conquistas históricas impreteríveis do Ocidente, independentemente de obediência a qualquer cronologia, identificadas com os direitos humanos: combate à fome à miséria, acesso universal à educação, à energia elétrica, diminuição da desigualdade ímpar que nos assola. Fraternidade, também quero, mas junto com a Liberdade, e principalmente, o que mais nos falta, Igualdade! Não igualdade no sentido anatômico, igualdade de condições, junto com a quarta geração. Não indignar-se com a miséria, agarrar-se ferrenhamente a seus privilégios, assim como espernear diante de sinais de mudança, faz parte do aprendizado de cegueira, inércia e arrogância por que passam nossas elites com seu gosto sofisticado. Mas ao contrário de um regime de concordância geral, o ideal de democracia é caracterizado justamente pela coexistência de opiniões diversas a respeito das políticas do governo. À insatisfação proveniente de certo campo ideológico correspondem, certamente, avanços jamais assistidos na História do Brasil. Com vínculos ideológicos resumidos na figura de ACM, nutridora de uma ordem social desigual desde 1500, existe uma indiscutivelmente sincera elite baiana à qual, desagradar, é sinal de que Lula está no caminho certo!

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Policias Militares em busca do Direito de ter Direito





Quadrilha especializada em fraudes em empréstimos é presa na BH.

Quatro integrantes de um quadrilha foram apresentados pela Polícia Civil na tarde desta quinta-feira. O grupo era especializado em fraudar empréstimos junto a instituições financeiras em Belo Horizonte e na Região Metropolitana.


Com os quatro homens foram apreendidos documentos falsos, 890 folhas de cheques, uma CPU e um veículo.

Segundo a Polícia Civil, Cláudio Márcio da Silva, de 38 anos, Lúcio Flávio Nascimento, de 42, Dante Felippe Muceli, de 34, e Júlio César Gonçalves dos Santos, de 44, foram presos quando entravam em uma agência bancária de Contagem em busca de aprovação de empréstimo que seria descontado no contracheque de um funcionário da Auditoria da Receita Federal.

Ainda de acordo com a polícia, a quadrilha usava alta tecnologia para conseguir informações em bancos de dados restritos e falsificava documentos públicos como holerites, documentos de identidade, contas de água e luz etc.

O bando, que era monitorado há dois meses, foi autuado por formação de quadrilha e uso de documentos falsos. O grupo foi encaminhado para o Ceresp de Contagem. A operação Holerites, como foi chamada a ação, deve continuar pelos próximos meses.


Fonte Portal Uai - (Com informações de Otavio Oliveira/Portal Uai)


quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Plano de vôo do presidente Lula e da miistra Dilma é alterado

O President Lula e a Ministra Dilma, não pousará mais na cidade de Guamaré, eles desenbarcarão no aeroporto Augusto Severo. O presidente  utilizará o jato presidencial até a cidade de Guamaré, e em seguida, seguirá de helicópteo com a Governadora do Estao do Rio Grande do Norte, Wilma de Farias até as obras da refinaria Clara Camarão, e retornam para o aeroporto Augusto Severo, e embarcam para Basília.

MANDATOS DO PT, DEBATEM SOBRE A PEC 391

Os Mandatos dos deputados do Partido dos Trabalhadores (PT),Fátima Bezerra e Fernando Mineiro, em parceria com várias Entidades Sindicais do RN, estão realizando uma verdadeira maratona de Audiências Públicas pelo estado, o objetivo é debater sobre a PEC 391, que trata da criação do Plano de Carreira e Piso Salarial dos agentes comunitários de saúde e de combate às endemias, como também mobilizar a sociedade em favor e reconhecimento desta classe de trabalhadores. Sobre a PEC 391 - A deputada Fátima Bezerra é relatora da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 391/09) que estabelece as diretrizes de plano de carreira e piso salarial para agentes de saúde e de combate a endemias. Neste dia 11 (quarta-feira), a deputada teve aprovada, por unanimidade, o seu parecer substitutivo pela Comissão Especial da Câmara dos Deputados. Vejam só a programação do Estado para realização das audiências:

.13/11 – 09 h -Auditório da UERN – Assú
.13/11 - 14 h -HOTEL VILA OESTE – Mossoró
.16/11 - 09 h-Câmara Municipal – São Paulo do Potengi
.20/11 – 09 h -IFRN/Santa Cruz
.20/11 - 14 h IFRN/ Caicó
.23/11 - 09 h -IFRN/Natal

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Polícia identifica e prende componentes da quadrilha de sequestradores

Conforme informamos, na noite de ontem a Policia Militar (GTO de Apodi, Caraúbas e Campo Grande), comandada pelo Capitão Carvalho, tenente Brilhante e Eromar, conseguiram identificar e prender a quadrilha de sequestradores (ver postagem abaixo).


Trata-se de JOÃO PAULO DUARTE, MARIA DA CONCEIÇÃO FERNANDES, JOSIVAN FERNANDES de 23 anos (natural de Caraúbas), LUIS RODRIGUES NEVES JÚNIOR, MARIA CÉLIA FERNANDES de 49 anos (natural de Caraúbas) e o menor de iniciais E.G. de 17 anos (natural de Caraúbas) acusados de integrar a quadrilha envolvida no sequestro do ex-prefeito de António Martins, Zé Júlio. Foram apreendidos com o grupo: armas, munições, celulares, uma moto BROS 150, na cor prata; Placa: NNS-4236 e 7.150 (sete mil e cento cinquenta) reais em dinheiro.

O fato teve inicio depois que os reféns do sequestro foram libertados no Sítio Santo António (zona rural de Caraúbas), e que uma das vítimas revelou ao Cap. Carvalho que um dos sequestradores tinha uma voz fanha.

Em seguida a policia militar de Apodi, Caraúbas e Campo Grande continuaram as buscas dos envolvido no sequestro e conseguiu deter primeiramente João Paulo (que é fanho) em uma moto que seria usada no sequestro, o mesmo confessou o crime e, em seguida, entregou as armas que estava enterradas nas residências de Luis Rodrigues e Josivan que também foram presos e confessaram a participação. Todos foram presos e conduzidos a delegacia de Caraúbas onde serão autuados por sequestro, formação de quadrilha, porte ilegal de armas dentre outros crimes.

A policia continua a procura de mais integrantes que estão foragidos, e já tem os nomes de vários outras pessoas, residentes nas comunidades próximos a Caraúbas, que tem ligação com o bando.

A quadrilha é a mesma que vem praticando vários assaltos no trecho de Apodi-Caraúbas e região.

Noticia e fotos - 3 CPM








terça-feira, 17 de novembro de 2009

Polícia prende supeito de ter participado do sequestro do ex-prefeito de Antonio Martins

Polícia prende suspeito de ter participado do sequestro do Ex-prefeito de Antonio Martins, José Júlio (PT).

EM BREVE MAIS NOTÍCIAS !!!!!!!

Ex-prefeito de Antonio Matins é libertado após sequestro

O ex-prefeito e médito de Antonio Martins/RN, José Júlio (PT), é libertado próximo a um sitio no município de Caraúbas, o mesmo passa bem.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Bandidos evoluem em seus atos criminosos.

Dentro dos Shoppings Centers há pessoas próximas às entradas dos cinemas fazendo uma suposta pesquisa com os jovens (algo"interessante", como cinema, TV, um novo filme a ser lançado...).

Pegam então o nome, telefone celular, fixo e residencial, endereço, nome dos pais e discretamente anotam algumas características como as roupas, cor do cabelo, etc. etc. etc.

Em seguida, pedem que, durante a exibição do filme, não esqueçam de desligar o telefone celular para não incomodar as pessoas no interior do cinema.

Depois que os "entrevistados" entram no cinema, após alguns minutos, ligam para o seu celular a fim de confirmar se está mesmo desligado e, se estiver, ligam então para a casa da pessoa.

Dizem o nome completo do filho ou parente (o que já assusta), as características como cabelo, estatura, roupas e diz ainda: "Ligue para seu filho, se acha que estou mentindo... o nº dele é 9XXX - XXXX. E está desligado...".

Como um filme dura em média 2Hs, demora muito para se conseguir contato. Aí você já está em pânico e pronto para fazer o que o bandido lhe pedir.

RECOMENDAÇÕES AOS PAIS:

Instrua os seus filhos e parentes a não responderem nenhuma entrevista ou pesquisa nas ruas e, menos ainda, a fornecer informações pessoais.

Não coloquem Curriculum em sites da internet.

Nunca desliguem os celulares. Coloque-os em "silencioso".

Em caso de cinemas, coloque-o para que simplesmente acenda a luz.

O nível de preparo dos bandidos está aumentando...

Temos que nos precaver cada vez mais.





Quadrilhas falsificam documentos e aplicam o golpe do empréstimo consignado

A internet virou o balcão de negócios para a venda de cadastros com dados sigilosos do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS).

De posse dessas informações, quadrilhas falsificam documentos e aplicam o golpe do empréstimo consignado (aqueles descontados diretamente das aposentadorias), lesando milhares de aposentados e pensionistas pelo país.

Uma reportagem do programa Fantástico, da Rede Globo, mostrou neste domingo o esquema. Os sites não divulgam o serviço abertamente, mas, em telefonemas, os fraudadores abrem o jogo. A reportagem ligou para uma página de Belo Horizonte. O atendente, que se identificou como Henrique, mandou uma amostra do banco de dados. Para confirmar o golpe, a equipe marcou um encontro em um restaurante na capital mineira, onde ele confirmou o repasse das informações sigilosas.

— Te dou garantia total de reposição por futuros registros que tiverem desatualizados — disse o rapaz, sem saber que estava sendo gravado por uma câmera escondida.

A página mineira não é o única a fornecer os dados. A reportagem ligou para um homem do interior do Mato Grosso do Sul, que contou a fonte das informações:

— Tem um programador que faz esse trabalho pra nós — disse.

O Fantástico comprou uma lista com dados de aposentados de Canoas por R$ 200. O dinheiro foi transferido para a conta do homem pela internet. Com as informações em mãos, foi possível acessar até os extratos de pagamento dos aposentados no site do INSS .

Segundo a Polícia Civil gaúcha, com esses dados, os grupos criminosos falsificam documentos para conseguir empréstimos em nome de aposentados.

Para os fraudadores, não é difícil obter comprovante de residência e carteira de identidade em nome dos idosos e fazem a dívida em nome dos aposentados. No centro de Porto Alegre, esse serviço está à venda por R$ 300. Com os dados que aparecem nos cadastros vendidos pela internet, o Fantástico encomendou os papéis de um aposentado, que ficou pronto no dia seguinte. O documento falso e a relação de foi entregue à Polícia Civil de Porto Alegre.

O diretor-presidente do INSS, Valdir Simão, admite o problema.

— Estamos tomando providências com a área de inteligência, Policia Federal e Ministério Público para investigar a autoria, a origem desse banco de dados e também quem está comercializando — afirmou.

Ao todo, 4 mil aposentados reclamaram de empréstimos de dizem não ter feito. Até agora, o INSS comprovou que 1.011 eram mesmo fraude.

O que fazer

Para evitar golpes


1 Não assine documentos em branco para ninguém, ainda que se trate de familiares. Segundo a Polícia Civil, há casos em que parentes participam das fraudes

2 Jamais forneça dados cadastrais, como CPF, endereço e tefone, para ninguém.

3 Não receba ninguém em casa que proponha compra ou facilitação de empréstimos bancarios.

Para recuperar o dinheiro

— Caso você tenha sido vítima do golpe do empréstimo consignado, o INSS orienta que os beneficiários procurem a ouvidoria para que os descontos em folha sejam bloqueados

— Você pode falar com a Ouvidoria do INSS pelo telefone 135 ou no site www.previdencia.gov.br, na opção fale com a ouvidoria

Fonte zerohora.clicrbs.com.br - Giovani Grizotti






Reportagem do Fantástico mostra venda de dados do INSS.

Criminosos falsificam documentos e pegam crédito em nome de idosos.

Aposentados brasileiros enfrentam fraudes ligadas a empréstimos consignados, aqueles que já vêm descontado em folha. Parcelas de créditos que eles dizem não ter feito aparecem descontadas, diminuindo a aposentadoria.

No Brasil, desde o começo deste ano, mais de quatro mil aposentados reclamaram de empréstimos que dizem não ter feito. Até agora, o INSS já comprovou que 1.011 eram mesmo fraude.

Uma lesão grave na coluna obriga José Maria Leite, de 74 anos, a andar curvado. Mas esse não é o único problema sério que ele enfrenta.

José Maria descobriu que a aposentadoria de um salário-mínimo ficou menor, de uma hora para outra. Ele estava pagando dois empréstimos de R$ 700, que alguém pegou em nome dele: “Me dói”, diz.

Uma vitória ele já conseguiu - uma liminar da Justiça para bloquear a cobrança. Ainda falta receber de volta o que foi descontado na aposentadoria: “É muito egoísmo, demais da conta, fazer judiação com coitado pobre.”

Na mesma cidade, Pitangui, no interior de Minas Gerais, outro aposentado, Ronaldo José do Couto, foi vítima do golpe do empréstimo consignado.

Passou meses pagando as prestações de R$ 413 de uma dívida de R$ 12 mil que ele nunca fez: “Eu mostrei para o rapaz do INSS, ele disse que realmente tinha coisa irregular.”

Em Água Nova, no sertão do Rio Grande do Norte, cidadezinha de três mil habitantes, mais de 30 aposentados foram vítimas do golpe. “Nunca fiz empréstimo”, afirma Maria das Graças Souza.

“Porque, como é que faz o empréstimo no nome da pessoa sem a gente dar os documentos?”, questiona a aposentada Maria Ozélia Bezerra.

Venda de dados

A reportagem do Fantástico foi investigar como esses empréstimos são feitos sem que o aposentado assine qualquer documento.

“Diversas são as modalidades para enganar os idosos, mas a que mais tem preocupado a polícia é a compra por estelionatários de dados cadastrais que deveriam pertencer exclusivamente aos órgãos federais encarregados de darem assistência aos idosos”, explica o delegado Abílio Pereira.

Isso significa que os bandidos usam dados do próprio INSS. O repórter Giovani Grizotti começou a investigação pela internet. Vários sites vendem cadastros dos aposentados.

Ligamos para um site de Belo Horizonte. Quem atende se identifica como "Henrique". Por telefone, pedimos que Henrique mandasse uma amostra do banco de dados.

“Tem nome, tem CPF, nome, endereço completo, telefone até três opções, tem o número de benefício, enfim, tem um monte de informação”, diz Henrique.

Falamos com as pessoas que aparecem nessa lista e confirmamos que as informações são autênticas. Marcamos encontro com o golpista na capital mineira. A conversa entre Henrique e o repórter do Fantástico aconteceu em um restaurante no centro da cidade.

“Dou garantia total de reposição por futuros registros que estiverem desatualizados. Esse é um pessoal antigo. Um pessoal que dá muito óbito também. Às vezes, qualquer óbito também eu reponho para você. Te vendo a R$ 0,10 cada registro. Vamos supor que fossem 400 mil. Daria R$ 60 mil”, oferece Henrique.

Depois de gravar a oferta do golpista, a equipe do Fantástico se apresenta. Henrique foge. A reportagem quase perde Henrique de vista, mas o encontra numa garagem. Henrique nega que venda os cadastros do INSS. "Não, não vendo não, nunca vendi."

Ligamos para outro site que também oferece as listas. Dessa vez quem nos atende é um homem do interior do Mato Grosso do Sul, que afirma que as informações são do INSS mesmo. “O banco de dados foi extraído este ano”, diz.

Desse golpista, compramos uma lista com dados de aposentados da cidade de Canoas, no Rio Grande do Sul, por R$ 200. Para ter certeza de que as informações eram mesmo verdadeiras, consultamos o site do INSS. Tudo confere.

Com essas informações, os bandidos falsificam documentos e fazem a dívida em nome dos aposentados.

Documento falsificado

A reportagem foi então verificar se é fácil conseguir os documentos falsos. No centro de Porto Alegre descobrimos um falsário. Encomendamos a ele uma carteira de identidade em nome de uma das pessoas da lista de aposentados da cidade gaúcha de Canoas: “Só vai ter que ter assinatura de quem vai utilizar. O papel é bom, original.”

Com a falsificação, de acordo com a polícia, um criminoso poderia ter conseguido um empréstimo consignado em nome do aposentado da lista. Nossa produção entregou as listas que conseguimos com os golpistas ao INSS e o documento falso à Polícia Civil de Porto Alegre.

“Um exame superficial é capaz de produzir resultados para aquisição de empréstimos em estabelecimentos bancários”, atesta o delegado.

O presidente do INSS, Valdir Simão, admite o problema: “Estamos tomando providências junto à área de inteligência da Previdência Social, Polícia Federal e Ministério Público, para investigar a autoria, a origem desse banco de dados e também quem está comercializando. Se houve uma fraude, o banco tem que devolver rapidamente o dinheiro corrigido pela Selic ao nosso segurado sob pena do contrato ser suspenso e não poder mais fazer empréstimos consignados”.

Prevenção

A delegacia de proteção ao idoso dá dicas aos aposentados: “Não assine nenhum tipo de documento em branco para ninguém, ainda que se trate de familiares. Esses golpes também têm participação intrafamiliar. Não forneça nenhum dado cadastral, CPF, endereço ou telefone, número de conta bancária ou documento de identidade por telefone para ninguém”, alerta Abílio Pereira.



Fonte Do G1, com informações do Fantástico