sábado, 21 de novembro de 2009

A educação pública e o Brasil

Na cidade de Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, está sendo realizada a 33ª reunião ordinária da Reditec, que congrega as Instituições Federais de Educação Profissional e Tecnológica com o tema: “Educação Profissional e Tecnologia na Rede Federal: compromisso com o desenvolvimento e a inclusão”.


O evento prossegue até a próxima sexta feira. No decorrer dos quatro dias de reunião, cerca de 300 participantes, entre Reitores, Diretores de Cefets, Professores e Servidores da Rede de todo o país debaterão os sub-temas: políticas de incentivo à pesquisa e à inovação; modelo de gestão para os Institutos Federais; a verticalização da pesquisa nos IFETs; importância da capacitação na gestão pública; ações de extensão retroalimentando a relação instituição/comunidade de maneira transformadora; políticas de inclusão e acessibilidade, entre outros.

Na ocasião tive a honra de ser agraciado com a Medalha Juscelino Kubitschek e uma placa alusiva ao evento. A generosidade dos integrantes da Rede me deixou profundamente emocionada. A solenidade contou com a presença do Secretário de Educação Tecnológica do MEC, professor Eliezer Pacheco e sua equipe, bem como o prefeito da cidade.

A Rede Federal de Educação Profissional tem uma importância cada vez maior no sistema educacional brasileiro, por ser um projeto de educação que contempla o desenvolvimento do país, que se reconhece como um projeto de nação. Suas salas de aula acolhem milhares de jovens até então apartados da chance de cursar uma escola de qualidade e hoje, devido sua formação, são disputados pelo mercado de trabalho em ciência e tecnologia.

Temos clareza da importância e do papel revolucionário que a Rede representa, bem como seu papel estratégico na construção de uma nação com educação de qualidade para seus jovens, um fator indispensável na construção de nosso futuro.

É emocionante ver o entusiasmo, a alegria e a dedicação com que trabalham os gestores, professores e servidores. Dividi a homenagem com todos eles, que tecem com tanto carinho, dedicação, seriedade, responsabilidade e compromisso este novo momento da educação profissional, que é motivo de orgulho do povo brasileiro.

Agradeço a homenagem que me fizeram, não com sentimento de vaidade, mas como um incentivo para dar continuidade à luta por educação de qualidade para todos. Ao mesmo tempo dedico esta homenagem aos estudantes pobres, aos filhos do povo, que hoje estão tendo oportunidades de acesso a uma educação de qualidade.

A 33ª reunião se dá no momento em que a Rede completa 100 anos de existência e vive uma expansão jamais vista ao longo de sua história. Afinal de contas, levamos 100 anos para ter 144 escolas e, em menos de 8 anos entregará mais 214 o que totalizará 358 escolas.

É importante aqui destacar os obstáculos que tivemos de superar, as pedras que tivemos de afastar do caminho, oriundas das políticas equivocadas dos governos anteriores. Refiro-me ao Decreto 2.208 que separou o ensino técnico e médio, bem como a Lei de 1998 que interditou a criação de novos Cefets, o arrocho salarial, o sucateamento das universidades, entre outros.

Foi preciso revogar o Decreto e alterar a Lei, autorizar recursos para a recomposição dos quadros, ações legislativas voltadas pra a melhoria salarial dos servidores, do qual tive a alegria de ser relatora.

Depois de tanto empenho, esta luta não pode parar. Vamos prosseguir na construção da Rede, para que o país possa ter mais escolas. Quanto mais escolas pudermos instalar pelo Brasil afora, mais estaremos avançando na conquista da cidadania e de uma sociedade fraterna e generosa, com justiça social e oportunidades iguais para todos.

Fátima Bezerra PT – RN


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça aqui o seu comentário.